sábado, 25 de setembro de 2010

Vinhos do Alentejo em Lisboa

Passei ontem pela Lx Factory, para matar saudades, rever amigos, enólogos e produtores. O local, sem grandes condições para provar vinhos tranquilamente, estava repleto de enófilos e de curiosos, o que não permitia a concentração necessária. Mesmo assim provei uma dúzia de brancos ( retive alguns deles, em primeiro lugar o Terrenus 09 do Rui Reguinga, mas também Esporão Reserva, Herdade dos Grous Reserva, Herdade São Miguel Colh.Seleccionada, Dona Maria e, ainda, os brancos dos produtores Solar dos Lobos e Terras de Alter, todos de 2009 se não me engano) e 2 ou 3 tintos (destaque para o J de José de Sousa 07 do produtor José Maria da Fonseca, escolhido pelo João Paulo Martins como um dos "Melhores do Ano" no Guia 2011, saído ontem a público).

1 comentário:

  1. Não gostei do espaço, muito acanhado, gente aos encontrões e fico sempre com a sensação de não existir um número limite de participantes para aquele espaço... é entrar até não caber mais, a segurança que se dane.

    Notei que os brancos do Alentejo estão a perder aquele toque rebuçado, buscam-se alternativas ao "enjoativo" Antão Vaz e começam a aparecer coisas engraçadas, vinhos mais secos, com mais acidez, menos pesados e com menos madeira... longe vão os tempos dos Dolium para barrar no pão.

    Nos tintos temos uma enologia mais afinada, as vinhas com a idade melhoram a qualidade dos caldos e a torneira das notas compotadas a rodos começa a fechar-se, vinhos com frescura, elegância, que não enjoam após o primeiro copo. Que se fuja daquela receita da Touriga Nacional que não é solução nem sequer salvação.

    Também provei o tal J, mas antes provei o José Sousa Mayor que de Mayor já tem pouco, perdeu a chama e encanto dos idos 94 e 97, entenda-se lá porque razão. O novo J achei um vinho muito bom mas longe das parangonas que lhe pintam... quanto à talha por onde dizem que passou, pelo menos fermentou quanto a estágio não me lembro se por lá andou também, o vinho cheira mais a baunilha que outra coisa, de talha tem muito pouco apesar de toda a frescura, taninos finos e fruta limpa e fresca... não sei... gostei mais de outros.

    Siga a festa que o palco é pequeno.

    ResponderEliminar