domingo, 28 de novembro de 2010

Grupo de Prova 3+4 (5ª sessão)

Este grupo foi substancialmente alargado a +3 (Luis Paulo, Francisco Esteves e Juha Videman) e +1 (Rui Miguel, um dos fundadores do Núcleo Duro e animador do blog Pingas no Copo). Acabou por funcionar com 11 provadores, revelando alguma heterogeneidade. O encontro foi no restaurante Colunas, escolhido pelo Raul Matos que levou os vinhos (5 tintos em garrafa magnum e 3 fortificados). O tema escolhido foi um confronto (mais um) Douro/Ribera del Duero e os resultados, em relação a alguns dos vinhos provados, foram algo controversos, com o painel dividido ao meio.
Com um muito apreciado arroz de galo do campo, degladiaram-se :
.Qtª do Crasto Vinhas Velhas 00 - francamente evoluído (parecia ter mais alguns anos), floral, muito elegante, fresco, suave na boca, bom final. Nota 17+. Foi o vinho da discórdia, com alguns provadores a encontrar-lhe defeitos que, confesso, não os vislumbrei.
.Aalto PS 00 - aroma recatado, mais carregado na côr, taninos algo bicudos, pouco elegante e harmonioso, persistente. Desiludiu. Nota 16,5 (noutra situação 18,5).
Mais um confronto com um empadão de javali :
.Aalto PS 04 - aroma exuberante, fruta, notas de tabaco, chocolate e algum couro, acidez q.b., taninos bem presentes, final longo, todo ele harmonioso. Nota 18.
.Qtª do Crasto Vinha da Ponte 04 - aroma mais discreto, algumas notas vegetais, acidez q.b., taninos macios, bom final de boca. Desiludiu. Nota 17.
Mais um tinto, mas desta vez sem confronto :
.Qtª do Crasto T.Nacional 05 - aroma exuberante e complexo, fruta, especiarias, bela acidez, profundidade de boca, final longo. Pujança e harmonia. Perfeito! Nota 18,5.
Em final de refeição, foram provados Niepoort Colheita 76 (Nota 15,5), Krohn Colheita 68 (17) e FMA Bual 64 (17,5), todos motivo de controvérsia.
Controvérsias à parte foi mais uma grande jornada. Parabéns Raul.

Sem comentários:

Enviar um comentário