domingo, 5 de dezembro de 2010

Vinhos em família (V) e não só

Impressões e notas telegráficas de vinhos provados em família e, noutras situações, com amigos. Tudo às claras e descontraidamente.
Num almoço recente com a família, bebeu-se :
.FEM Verdelho Muito Velho (produção do avô do Francisco Albuquerque) - aroma envolvente que fica a pairar mesmo com o copo vazio, frutos secos, iodo, especiarias, vinagrinho, final interminável. Nota 18,5 (noutras situações 18,5+/19/19/18,5/18,5/18/18,5; é um dos vinhos mais vezes provados e sempre com notas muito altas, ou seja, um dos vinhos da minha vida)
.Redoma Reserva 06 Branco - um bom branco que lhe falta personalidade para ser um grande branco, o menos interessante dos Redoma Reserva que já tenho provado. Nota 16+ (noutras situações 15,5/16/15,5/16)
.Equinócio 09 Branco - um vinho do João Afonso apadrinhado pelo Dirk Niepoort; não subscrevo os encómios atribuídos por alguma crítica embora lhe reconheça um perfil "sui generis"; vinhos originários da Serra São Mamede, prefiro o Terrenus e o Altas Quintas, bem mais interessantes. Nota 16.
.Esporão T.Nacional 07 - uma aposta na diferença em relação às colheitas anteriores, aroma exuberante, muita fruta vermelha, acidez q.b., boca potente, madeira sem marcar, bom final; equilibrado e guloso, embora não se sinta a casta. Nota 17,5.
.Niepoort Colheita 74 (engarrafado em 89) - uma muito boa surpresa, aroma discreto, frutos secos, algumas notas de mel, acidez q.b., boca poderosa, final longo e um ano que me diz muito. Nota 17,5+ (noutra situação engarrafada em 85 : 17).
Noutras ocasiões :
.Júlia Kemper 08 (Dão) - uma boa surpresa, nariz exuberante, muito frutado, acidez não muito evidente, profundidade, taninos macios, bom final de boca, perfil moderno e pouco tradicional. Nota 16,5.
.Chryseia 01 - nova garrafa e a última da minha garrafeira, não estava morto, não senhor, tinha alguma vida e acidez, mas continua a grande distância de outras garrafas provadas há mais tempo. A quem, ainda, as tiver, aconselho a despachá-las rapidamente. Nota 15,5 (noutras situações 17/17/17/10).
.Ferreira Reserva Especial 97 - festival de aromas terciários, notas de tabaco, couro, cacau, côr ainda com alguma vivacidade, taninos presentes mas suaves, excelente acidez, final longo; está no pico da forma e dá muito gozo bebê-lo nesta fase; mais interessante que o 01 aguenta bem mais 3/4 anos, antes de iniciar a curva descendente. Nota 18,5 (noutras situações 18,5/17,5/18,5/18,5).
.Valado Reserva 07 - aroma presente, boa acidez, madeira fina, elegante, harmonioso, bom final de boca, a melhorar com mais tempo de garrafa. Nota 17,5 (noutras situações 18/17,5/17,5+).

3 comentários:

  1. Parece que o Chryseia 01 encomendou efectivamente a "alma ao seu criador". Nos últimos dias, foram abertas muitas garrafas deste vinho que, parece, estava nas "últimas". É muita gente a dizer o mesmo. Não quis generalizar, mas reconheço, se calhar temos que o fazer. É pena...
    Não deixa, no entanto, de ser estranho e muito desolador para um vinho de topo que custa 50€.
    Seria importante que a Symington, desse uma olhadela sobre o que os consumidores estão a dizer, pois não basta ser bom enquanto novo, é importante que seja ainda melhor com alguma idade.

    Um abraço Francisco e até dia 8 para mais uma jornada do ND.

    ResponderEliminar
  2. Junto a esse, o 2000, o Xisto 2004 (abertas 4 garrafas), o Lavradores Feitoria Grande Escolha 2001 (3 garrafas abertas), Cortes Cima Reserva 2003 (2 garrafas), Dona Maria Reserva 2003 em vertical recente no produtor, Fojo 2000 (2 garrafas) também fora dos louros que "alguns" lhe atribuíram, desengonçado é o termo.

    ResponderEliminar