terça-feira, 30 de março de 2010

Prova dos 3+4

Decorreu hoje no restaurante As Colunas,na Venda Nova.A escolha assim como a maior parte dos vinhos foi da responsabilidade do João Quintela.Além dos 3 já citados ,participaram mais 4 militantes do núcleo duro das Coisas do Arco do Vinho(Carlos Borges,Raul Matos,Rui Rodrigues e Paula Costa).
Foram servidos 2 brancos de 2008,Olho no Pé Grande Reserva (Douro) e Qtª Foz de Arouce (Beiras),que acompanharam umas entradas.Brilhou o Olho no Pé,que considero um dos melhores brancos que se fazem em Portugal a um preço imbativel.Nota 17,5.O Foz de Arouce ainda tem a madeira muito presente,o que o prejudicou.Nota 16,5.
Quanto aos tintos,foram postos à prova 3 versões do Aalto (Ribera del Duero),2004,2005 e 2006,que acompanharam um belíssimo cabrito no forno.O grande vencedor deste confronto às cegas,como é habitual nestes grupos de prova,foi o 2006,com um aroma exuberante,boa arquitectura de boca e excelente final (nota 18,5).O 2004,sendo bastante bom,está muito redondo e algo doce (nota 17).Quanto ao 2005,que nos pareceu ter um bom potencial foi desclassificado.Rolha!Foi ainda provado extra concurso o Qtª Lubazim Grande Reserva 2007 (Douro) que se mostrou algo agressivo na boca,a precisar de tempo na garrafa (nota 15,5).
Como vinhos de sobremesa foram servidos o Capela da Qtª do Vesúvio (18) e o Blandy Bual 1948 (17,5).
Grande jornada !
A lista de vinhos deste restaurante é excepcional e sem preços especulativos,os copos são bons e o serviço correcto e eficiente.Recomendo vivamente.
No final do repasto,fomos visitar a garrafeira particular do dono que tem milhares de referências,das quais muitas são autênticas raridades.
Parabens e obrigado senhor José Gonçalves !

Grupo de Prova dos 3

Foi constituido um novo grupo de prova constituido pelo Juca (Oliveira Azevedo),João Quintela e eu próprio.
O 1º encontro teve lugar no dia 18/3 com vinhos da minha garrafeira e restaurante escolhido por mim.
A prova decorreu no Nariz de Vinho Tinto (Rua do Conde),restaurante simpático com boa comida,boa carta de vinhos,bons copos e serviço a condizer.E mais,o dono (António Inácio) permite que os clientes levem o vinho de casa.
Beberam-se vinhos Scala Coeli.O branco da colheita de 2008,100% Alvarinho,foi uma boa surpresa,apresentando-se muito fresco e mineral,com a madeira bem casada e excelente acidez.Acompanhou bem uma cataplana com camarão e boletos.Nota 17.
O tinto da colheita de 2007,100% Touriga Nacional,foi a confirmação do Prémio Excelência que lhe foi atribuido pela Revista de Vinhos.Aroma exuberante,muito floral,taninos firmes,elegante,boa acidez e bom final de boca.Acompanhou um arroz de lebre,demasiado apurado.Nota 17,5.
Como vinho de sobremesa foi servida uma das 1100 garrafas Malvasia 1990,produzidas pela Blandy.Um belo exemplar desta casta.Nota 18.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Um almoço sem vinho

Para quem goste de peixe cozido e não tenha tempo para esperar (não leva mais de 1 minuto a comida chegar à mesa !) pode ir almoçar à Cantina do Mercado 31 de Janeiro (às Picoas).Mas nem pensar beber vinho,pois :
.A lista,curtíssima é inenarrável
.Os copos são do pior
.O serviço de vinhos,não testado,deve estar em consonância
Em conclusão : bebam água !

sábado, 27 de março de 2010

Uma tarde em Vila Franca (Club + Flora)

1º Acto - Almoço no Club
Uma proposta gastronómica moderna e imaginativa,com base na cozinha tradicional,onde pontifica o João Leandro,vindo da Bica do Sapato.Um belíssimo espaço,com um serviço de muita qualidade e atenções inexcediveis, por parte do dono,Manuel Vieira.Fomos recebidos com champanhe Ruinart Bruto,uma simpática oferta da casa.
Para acompanhar um excelente sável com açorda,bebemos uma garrafa de Xisto 2003 levada por mim e cujo serviço não foi cobrado.Infelizmente o vinho foi uma desilusão.Estava demasiado evoluido,já com tons acastanhados e algo doce e enjoativo.Nota 14,5.Aviso à navegação : estou a desfazer-me dos vinhos de 2003 e a deixar para trás as colheitas de 2000 e 2001,com uma maior capacidade de envelhecimento.
Em conclusão,recomendo vivamente este restaurante e lamento que tenha caído no esquecimento dos gastrónomos (apenas 2 mesas estavam ocupadas num almoço de Sábado !).
2º Acto - Uma passagem pelo Flora
Depois do almoço não resistimos em passar pelo Flora e dar aquele abraço ao grande senhor que é o Pedro Gil.Pena é que tenha fechado,há cerca de 1 ano,aquele que, para mim, era o melhor restaurante português.
Grande jornada esta tarde em Vila Franca !

Irmãos e Irmãs

Passa na RTP2,6ª feiras a seguir ao Jornal das 22h,uma das séries mais interessantes e de grande qualidade,onde o vinho está sempre presente.A não perder !

Almoço no Largo

Almocei recentemente num dos novos restaurantes da moda em Lisboa,o Largo,onde pontifica o Miguel Castro Silva.Fica perto do S.Carlos e pode ser visto em www.largo.pt.Tem uma sala muito bonita onde se come bem e se paga em concordância.
Bebeu-se um CARM lote Miguel Castro Silva 2007 que funciona como vinho da casa (também tem um branco com o mesmo nome).É uma boa surpresa.Muito floral,equilibrado e elegante,tem como base a T.Nacional (a T.Franca e a T.Roriz também entram no lote).Nota 16,5.
A lista de vinhos,com algumas propostas bem interessantes, é curta e desajustada à procura,pois tem praticamente a mesma quantidade de referências de brancos e tintos.Os copos são bons e o vinho foi servido à temperatura correcta.
Em conclusão,recomendo.

quinta-feira, 25 de março de 2010

O Anti-Jantar

Aliciado por um interessante programa de Jantares de Vinhos,organizado pelo restaurante Faz Figura,onde constam os produtores Herdade dos Cadouços,Azamor,Herdade do Esporão,Vale d'Algares e Herdade dos Grous,participei ontem, com alguns amigos do núcleo duro das Coisas do Arco do Vinho, no primeiro aqui referido.
Foi um jantar algo surrealista,onde não houve nenhuma apresentação formal dos vinhos (apenas um representante do produtor foi à nossa mesa) e onde os participantes iam chegando (não havia uma hora marcada para o inicio do evento).
É pena,pois este restaurante (um dos meus preferidos em Lisboa) costuma ter um cuidado especial com os vinhos (lista,copos,espaço climatizado para os vinhos,etc).
Foram cobrados 45 € por cabeça,o que considero excessivo para um jantar com apenas 4 vinhos.
Quanto aos ditos, todos de 2007,o Cadouços Natur está demasiado rústico (nota 13),o Harmony Natur apresentou-se equilibrado e com uma boa acidez (15),o Yes We Can Reserva,com um estágio prolongado em excelente madeira (12 meses) e em garrafa (mais 6 meses) foi, para mim, o mais complexo do conjunto (17).Finalmente o Memorium Natur Reserva,frutado e macio, ficou prejudicado por não ter um prato à altura,limitando-se a acompanhar a sobremesa (16,5).

Garrafeira VINOdiVINO

Visitei,incógnito,esta garrafeira italiana que ainda não conhecia.Aposta forte nos vinhos italianos como não podia deixar de ser.Tem,ainda,uma amostragem de vinhos portugueses,alguns de gama alta e média alta,embora não se perceba o critério da selecção.
Nota positiva : deram-me as boas vindas com um branco da Secilia (a promoção da semana).Um pormenor bem simpático por parte da loja.Grazie !
Nota negativa : a confusão que tem dado o nome,pois coincide com o da garrafeira da Lapa.

terça-feira, 23 de março de 2010

CARM Reserva 2008 Branco

Provado e bebido o vinho branco CARM Reserva 2008,que tem como sub-titulo Familia Reboredo Madeira.Feito a partir de vinhas velhas do Douro Superior,com predominância das castas Códega do Larinho,Rabigato e Viosinho,estagiou 8 meses em barricas de carvalho francês.Aroma tropical,complexo na boca,madeira discreta,acidez no ponto e boa persistência no final.Vinho de primavera,outono ou inverno acompanha bem um bacalhau assado no forno.Excelente relação preço/qualidade (abaixo dos 10 €).Recomendo vivamente.Nota 16,5

segunda-feira, 22 de março de 2010

Saber pegar no copo

Quem leu o Expresso de 20/3, não sei se reparou na foto publicada na pág 10 do caderno Economia.Percebe-se que são 5 pessoas com um flute na mão.Estão identificadas o presidente e o vice do BCP (Santos Ferreira e Armando Vara)e o presidente da Sonangol em Luanda (Manuel Vicente).Aparecem na foto mais 2 angolanos não identificados.Destes 5 apenas um sabe pegar no copo,o presidente do BCP !Pergunta : por ter sido (ou ser?) cliente das Coisas do Arco do Vinho?

Almoço no Q.B.

No dia 19/3 almocei no Q.B. na Beloura (não confundir com o restaurante do Paulo Morais com o mesmo nome).Não farei crítica gastronómica mas simplesmente tecerei algumas considerações à volta do vinho.
.Lista : pequena mas com algumas propostas bem interessantes.No entanto é indesculpavel a omissão das datas de colheita e confusa a sua organização,por ordem alfabética com as regiões de origem todas misturadas!
.Copos : aceitaveis
.Serviço : o vinho escolhido (tinto) não vinha à temperatura adequada.A pedido baixaram -lhe uns quantos graus.
Foi servido um vinho argentino,o Fabre Montmayou Gran Reserva 2007,composto de Malbec(50%)e Touriga Nacional(50%).De salientar que foi feito por 2 enólogos,sendo um deles o portuguesissimo Rui Reguinga.Muito frutado,guloso,boa arquitectura de boca mas com um final de boca algo doce.Nota 16.

domingo, 21 de março de 2010

Entrevista conduzida pelo João Paulo Martins

No dia 9 de Março,a convite do JPM, almoçámos (eu e o Oliveira Azevedo) no Restaurante A Commenda,no CCB.O pretexto foi uma conversa/entrevista para balanço (e não só) dos 13 anos e meio que liderámos o projecto Coisas do Arco do Vinho.Vai sair na Revista de Vinhos de Abril.Não perca!

sexta-feira, 19 de março de 2010

Núcleo Duro

É um grupo de 7 amigos que se encontram mensalmente para provar vinhos às cegas,jantar e conviver.Constituem-no o Rui Miguel,Jorge de Sousa (os fundadores),João Quintela,Paula Costa,Oliveira Azevedo (também ex-sócio das Coisas do Arco do Vinho),eu próprio e o Pedro Brandão.
O último encontro teve lugar em 2 de Março no restaurante A Commenda,no CCB.
Foi a 52ª em que participei !
Os vinhos foram trazidos pelo João Quintela (1 espumante,6 tintos do Douro do ano 2004,Noval Vintage também de 2004 e um Bual de 1971 da Blandy).
A minha classificação :
1º Abandonado 18,5
2º Pintas e
CARM BOCA 17,5
4º Quanta Terra e
Vallado Sousão 17
6º Charme 16,5
De realçar a prestação do BOCA,com um lote criado pelo meu amigo Oliveira Azevedo e por mim para as comemorações do 10º aniversário das Coisas do Arco do Vinho.Tem tido uma evolução excepcional.
Quanto aos vinhos de sobremesa classifiquei o Noval com 17,5 e o Bual com 18,5.