sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Colares : a tradição já não é o que era!

Hoje em dia, contam-se pelos dedos os enófilos que seleccionam os vinhos de Colares como os seus preferidos. E até os nossos críticos, a avaliar pelos vinhos de Colares referidos nos respectivos guias 2011. O João Paulo Martins comentou 4 brancos e 3 tintos, enquanto o Rui Falcão classificou 5 brancos e 6 tintos, sem lhes terem atribuído notas por aí além.
Mas isto vem a propósito de uma recente visita que fiz ao Museu do Teatro. Numa das vitrinas está exposta uma ementa de homenagem à fadista Ercília Costa (1902/1985), datada de 24 de Fevereiro de 1937. Curiosamente começa por " E mais foi dito que fossem preferidos os vinhos da Região de Colares " , depreendendo-se que os vinhos de Colares eram, nessa época, muito apreciados e que alguém os recomendou vivamente. Passados 73 anos, constatamos que os Colares foram praticamente banidos do nosso imaginário e, também, das nossas mesas.
Já agora, não resisto a transcrever o resto da ementa :
.filetes de linguado com molho branco
.frango au morango (sic!)
.vitela assada com esparregado
.doce e fruta
.vinho branco ou vinho tinto
.Cana Paraty (segundo averiguei trata-se de uma aguardente de cana do Brasil)
.café e champagne (ou seria espumante?)
Pois, a tradição já não é o que era!

Sem comentários:

Enviar um comentário