quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Vinhos em família (VII)

Impressões telegráficas dos últimos vinhos provados em família ou com amigos, tudo às claras:
.Momentos 04 - o vinho mais personalizado elaborado pelo Luis Soares Duarte, ostentando a impressão digital no rótulo; feito com base numa vinha velha em Vale Mendiz, estagiou 20 meses em barricas de carvalho francês, austero, acidez equilibrada, profundidade, bom final de boca, com saúde para durar mais 5/6 anos. Nota 17,5+ (noutra situação 17,5).
.Qtª Crasto T.Nacional 01 - um dos grandes vinhos do Douro, côr ainda carregada, aroma complexo com notas de tabaco e chocolate, madeira fina e na quantidade certa, taninos presentes, final longo, todo ele elegância e harmonia. Aguenta mais uns anos. Nota 18,5 (noutras 17,5/19/18/18/17,5/18/18).
.Batuta 00 - aroma débil, acidez presente, alguma elegância, taninos domados, bom final de boca, mas longe dos bons velhos tempos. A consumir pois já entrou na curva descendente. Nota 16,5+ (noutras 18/18,5 em Magnum/17,5).
.Blandy Bual 80 (engarrafado em 2009) - era a botelha 384 de 1000; nariz de início muito fechado, citrinos bem presentes, frutos secos, vinagrinho discreto, demasiado seco para esta casta, corpo mediano mas final longo. Nota 17,5 (noutra 18).
.Baton 08 - vinho duriense de um novo produtor, Terroir d'Origem (Casal de Loivos); ainda demasiado jóvem precisa de tempo para se mostrar, aroma muito frutado e exuberante, acidez q.b., taninos doces, bom final de boca. Nota 17.
.Pios 07 - outro tinto do Douro; correcto e simples não fica na memória. Nota 15+.

2 comentários:

  1. Abrires uma gfa de Qta do Crasto TN 01 sem a minha presença ,é inqualificavel.Sabes muito bem que é um dos meus vinhos favoritos e,sem dúvida,o melhor TN que bebi até hoje.Por esta vez ainda te perdoo,mas é a última

    ResponderEliminar