sexta-feira, 25 de março de 2011

Grupo de Prova dos 3+4-2+1

Isto até parece uma expressão matemática, mas não é. Trata-se do nosso grupo dos 3+4, a que faltaram 2 dos elementos fixos, tendo participado o nosso amigo José Rosa que trouxe os vinhos da sua garrafeira. O evento foi na Enoteca de Belém que, mais uma vez, fez com que o encontro tivesse decorrido a um nível alto de qualidade, com o Nelson nos tachos e o Ângelo na sala.
Começámos com 2 espumantes (Ervideira Reserva 08 e Cabriz 08 Rosé), oferta simpática da equipa da casa. A intenção foi boa mas os vinhos não brilharam. Acompanharam o amouse de bouche, mozarela com tomate.
Depois vieram 2 Alvarinhos, do melhor que se faz por cá, embora de estilos diferentes. Acompanharam um delicioso prato de camarão.
.Soalheiro Reserva 07 - tropical, gordo na boca, acidez a equilibrar, envolvente, final muito longo. Nota 18 (noutras situações 17+/18,5/18/17+/18/18/18,5).
.Parcela Única 09 - mais fresco, excelente acidez, muito elegante, final longo. Precisa de mais tempo de garrafa. Nota 17,5+ (noutra 18).
Com um saborosíssimo carré de borrego, avançaram 4 tintos de referência, constituindo para mim uma enorme surpresa o vinho que melhor pontuei e do qual, tinha recebido notícias menos boas do seu estado de saúde.
.ME & JBC 01, resultante de uma parceria entre a Maria Emília Campos, ligada à área comercial da Churchill, e o enólogo João Brito e Cunha - aroma complexo, estrutura de respeito, boa acidez a prever saúde por ainda algum tempo, bom final de boca. O Douro no seu melhor a contrariar os vaticínios mais pessimistas. Nota 18+ (noutras 18/14,5/13/15,5).O que teria acontecido? Alguma barrica menos boa? Mistérios insondáveis...
.Ferreirinha Reserva Especial 97 - algo evoluido a notar-se a patine do tempo, elegante, equilibrado, taninos amaciados, grande final de boca. Dá muito prazer bebê-lo nesta fase. Nota 18 noutras 18,5/17,5/18,5/18,5/18,5).
.DADO 00, a 1ª experiência em comum de 2 grandes senhores do mundo do vinho, o Dirk Niepoort e o Álvaro de Castro. Se a memória não me atraiçoa, este 1º DADO foi lançado num dos jantares organizados pela antiga Coisas do Arco do Vinho. Algo vegetal, acidez elevada, muito elegante, bom final de boca. Nota 17.
.Vale Meão 00 - aroma estranho, ligeira oxidação(?), taninos ainda bem presentes. Esta garrafa, para mim, evoluiu mal e nada tem a haver com outras provadas anteriormente. Nota 16,5 (noutras 16,5/18/17/18/15/18,5+/17,5/18,5/18,5/18,5+).
Com os finalmentes (queijo, doces e fruta) bebemos um Porto (uma novidade) e um Madeira (um clássico) de se lhes tirar o chapéu, a saber :
.Casa do Douro Colheita 75 (engarrafado em 2005) - frutos secos, notas de mel, boca poderosa, final longo. Uma grande surpresa. Nota 17+.
.Blandy Bual 77 (engarrafado em 2007). Um clássico já aqui citado diversas vezes. O vinho óptimo para fechar qualquer evento. Nota 18,5 (noutras 19/19+/18/19/17,5/18/18,5/18).
Grande jornada. Obrigado José Rosa!

Sem comentários:

Enviar um comentário