segunda-feira, 11 de abril de 2011

Lisboa Restaurant Week : a confirmação e a surpresa

Aproveitei este evento e pousei em 2 restaurantes aderentes, o Faz Figura (a confirmação) e o Guarda Real (a surpresa). As ementas (entrada/prato/sobremesa) tinham um valor fixo de 19+1 € (bebidas àparte), o que, face às ameaças do FMI e companhia, é uma mais valia. O Faz Figura fez alguma batota, ao cobrar 2,50 € de "couvert" por pessoa, ao passo que o Guarda Real, restaurante do Hotel Real Palácio, não só não cobrou o "couvert", como ofereceu o "amouse de bouche", numa simpática aposta em potenciais clientes.
No Faz Figura, o chefe Pedro Dias comanda bem a cozinha e o que veio para a mesa, gaspacho com trouxas de bacalhau, bacalhau assado com broa, folhado de capão, tinha qualidade, embora sem nos fazer subir aos céus.
O chefe Ricardo Mourão pontifica nos tachos do Guarda Real e surpreendeu pela qualidade e apresentaçao dos pratos escolhidos, creme de camarão, carpaccio de novilho, veado braseado com risotto de espargos, salmão..., panacotta de frutos silvestres e um irish coffee adaptado a sobremesa.
O Faz Figura tinha a lotação quase esgotada e o senhor Fernandes, já nosso conhecido e responsável pela sala e pelos vinhos, deu boa conta do recado. Mas é pena que alguns dos empregados, se calhar chamados à pressa, tenham pouco jeito para o serviço de vinhos e, até, da água! Se há coisa que me irrite é quererem encher-me o copo contra a minha vontade.
De qualquer modo, este restaurante tem apostado num bom serviço de vinhos, com copos à altura, um armazem climatizado e uma lista alargada e bem seleccionada, com preços não especulativos. Penso que o Faz Figura já podia ser considerado restaurante amigo do vinho.
Bebeu-se um branco, Esporão Reserva 09, que mostrou fruta tropical, frescura, algum abaunilhado da madeira e bom final de boca. Interessante sem esmagar. Nota 16.
No restaurante do hotel, com um ambiente a fazer lembrar um "pub" algo pretensioso, havia várias mesas vagas, serviço eficiente mas algo desatento. Copos francamente bons, temperaturas correctas e uma carta de vinhos com boas ofertas, mas com uma política de preços sem critério, alternando vinhos muito acessíveis com outros estupidamente caros. Vinhos a copo só o da casa, cujo nome e ano não fixei. Perante a minha reacção de descontentamento, o chefe de sala, cujo nome não retive, teve a gentileza de me oferecer um copo (servido em excelente recipiente) de um muito agradável Cadouços Natur 07. Muita fruta, boa acidez, taninos domados, final médio, fácil de beber. Nota 16+ (noutra situação 15,5). Evoluiu muito bem no espaço de 1 ano.

Sem comentários:

Enviar um comentário