segunda-feira, 16 de maio de 2011

Frustração no Eleven

"Frustação é uma emoção que ocorre nas situações onde algo obstrui o alcance de um almejo pessoal. Quanto mais importante for o objectivo maior será a frustação.(...)" in Wikipédia.
Vem isto a propósito de um e-mail que recebi de Virgilio Gomes, gastrónomo militante e professor universitário na área da alimentação, que remetia para a sua última crónica (tenho um link para a sua página, que recomendo). Anunciava, então, que o Eleven promovia uma semana gastronómica com o chefe Jaime Pérez (trabalhou com o Ferran Adriá no El Bulli), vindo expressamente do Monte Rei Golf & Country Club de Sesmarias, em Vila Nova de Cacela, Algarve. O menú era fixo para almoço e jantar, ao aliciante preço de 35 €, sem bebidas. É claro que fiquei logo a salivar e reservei mesa para jantar no passado dia 12.
Chegados ao local depressa percebi que, afinal, não era nada do que estava à espera. O menú dos 35 € era apenas para almoço e o do jantar, onde também entrava Joachim Koerper, o chefe residente, custava a módica quanti de 89 €. Contrapusémos, agarrando-nos à informação do Virgilio Gomes, mas sem êxito. Que grande frustação e imenso desconforto com a situação criada! Entre sairmos de imediato ou mudarmos a agulha para a carta normal, prevaleceu o bom senso e acabámos por ficar.
Depois deste primeiro impacto não muito fácil, há que reconhecer que os 2 chefes, quando tiveram conhecimento do que se estava a passar, vieram à mesa e excederam-se em simpatia para que não saissemos mal impressionados. Além dos pratos pedidos, ofereceram-nos o habitual amouse de bouche e, ainda, três pequenos aperitivos inspirados no menú do almoço.
O Eleven é muito confortável, as mesas bem aparelhadas e uma vista sobre Lisboa de cortar a respiração. Serviço profissional como não podia deixar de ser. Uns comeram um prato de bacalhau com puré de batata roxa e outros uma sinfonia de porco com favinhas e macarrão (!?). Os pratos estavam francamente bons, mas não fizeram subir aos céus.
Quanto a vinhos, a carta é muito completa mas com preços demenciais. Tentámos os vinhos a copo mas, por exemplo, o Churchill Estates custava 10 €, que é o preço de uma garrafa no mercado! Acabámos por pedir uma garrafa de Vallado 09 que custou 27 € e era dos vinhos mais baratos. Mostrou muita fruta e juventude, taninos presentes e final curto. Simples e directo. Nota 15,5. Copos e serviço bons, embora tivesse sentido a necessidade de pedir para que lhe baixassem a temperatura.
Posteriormente, viemos a saber que o prof. Virgilio Gomes se limitou a transcrever o documento de apoio da empresa de comunicação que trabalha com o Eleven, o qual referia expressamente que o menú do chefe Pérez contemplava almoços e jantares.
Ficam a frustração e 2 perguntas por responder :
1ª a empresa de comunicação não enviou cópia ao cliente?
2ª caso afirmativo, o Eleven não a leu?

1 comentário:

  1. E depois ficaram todos muito surpreendidos quando perderam a Estrela Michelin...

    Rui Pintassilgo

    ResponderEliminar