domingo, 8 de maio de 2011

O grupo dos 3 (14ª sessão)

Mais uma boa jornada do grupo dos 3 (Juca, João e eu), mais um almoço com prova de vinhos às cegas. Os vinhos eram do Juca que escolheu o Restaurante da Ordem dos Engenheiros, onde já temos ido com o nosso amigo Adelino de Sousa. Não está aberto ao público, mas quem tiver um amigo engenheiro pode meter uma cunha ao senhor José Nogueira António, concessionário do restaurante. Espaço simpático, está situado num 6º andar que lhe proporciona uma invejável vista.
Come-se bem e em conta. O prato principal é à lista, mas as entradas e as sobremesas, com uma boa e alargada oferta, estão à disposição de cada um, em serviço de bufete.
A lista de vinhos não é uma referência da casa, mas há sempre a possibilidade de levar vinho próprio, com a anuência do concessionário que também é gerente e chefe de sala. Os copos na mesa são fracotes mas, a pedido, vêm outros com alguma dignidade. Serviço profissional e simpático.
Bebemos :
.Qtª dos Roques Encruzado 05 - aroma contido, bela acidez, boa estrutura de boca, gastronómico e longevo. Aguenta mais 2/3 anos. Pode considerar-se um branco de guarda, pois envelheceu muito bem. Nota 17 (noutras situações 14,5/16/15,5)
.Qtª da Romaneira 04 - notas de especiarias, chocolate e tabaco, algo evoluido, acidez presente, profundidade, boca poderosa e grande final, equilibrado e gastronómico. Está no ponto para ser consumido, embora aguente mais 5/6 anos. Sem estar na ribalta é um dos grandes vinhos do Douro. Nota 18,5 (noutras 18,5/18,5+).
.Cossart Verdelho 73 (não retive o ano de engarrafamento) - nariz discreto, notas de brandy e iodo, vinagrinho, pujança de boca e final longo. Nota 18 (noutras 18,5/17,5+).
Obrigado Juca!

Sem comentários:

Enviar um comentário