domingo, 17 de julho de 2011

Rescaldo da ida ao Douro (III) : uma visita guiada à Qtª Nápoles.

Como já referi, tivemos o privilégio de termos sido recebidos na Qtª Nápoles pelo anfitrião, Dirk Niepoort, que nos conduziu pelos meandros desta moderna adega que ainda não conhecia, enquanto o Luis Seabra se encarregava de uma família belga.
A prova de alguns vinhos da colheita de 2009 ficou a cargo do Luis Seabra, que nos apresentou amostras de casco de Vertente, Batuta (em 3 lotes separados, cuja junção dará origem á versão final final), Redoma, Robustus e o Porto Vintage Pisca. Ficou-me na memória as diversas versões do Batuta, das quais resultará um dos melhores Batutas de sempre, preconizo.
O Dirk, homem generoso, figura emblemática, criador de vinhos ímpares e o grande divulgador do Douro em todo o planeta, é para mim a principal referência no mundo do vinho. Conheci-o antes da existência das CAV, num dos jantares organizados pela Revista de Vinhos, algures no início da década de 90. A partir daí cruzei-me com ele por diversas vezes.
Vem-me à memória a oferta de uma garrafa de Robustus 1990, que não chegou a ser comercializado, e um jantar no Portucale, situado no 13º andar da Cooperativa dos Pedreiros, Porto, onde em amena cavaqueira, deitámos abaixo uma garrafa de Batuta 1995 (não garanto que o ano esteja correcto, mas sei que foi o 1º Batuta e que nunca foi comercializado). Lembro-me, ainda, de termos (eu e o Juca) conseguido juntar, num dos primeiros jantares que organizámos como responsáveis das CAV, o Dirk e o Álvaro de Castro, pois considerámos que tinham muitas facetas comuns (a criatividade, a generosidade, a busca da perfeição e o "desalinhamento" em relação ao statu quo). Desta cumplicidade resultou o 1º DADO que, mais tarde, teve a estreia nacional num outro jantar organizado por nós.
Para terminar,esclareço que, embora não conhecesse a nova adega, já tinha visitado a Qtª Nápoles. E, para memória futura, aqui ficam registadas as quintas e adegas de que me lembro já ter visitado, individualmente ou com o antigo núcleo duro das CAV, para além desta Qtª Nápoles : Erva Moira, Crasto, Vallado, Vale D.Maria, Vale Meão, Pintas, Poeira, La Rosa, Noval, Bonfim, Vesúvio, Carvalhas, Cidrô, São Luiz, Casa Santa Eufémia, Calços do Tenha, Vértice, Roriz, Gricha, Caldas, Estação, Casa Amarela, Panascal, Portal, Infantado, Casa Mateus/Lavradores de Feitoria, Pacheca, Malvedos, Passadouro, Fojo, Manuela, CARM, Nova Nossa Srª do Carmo (ainda no tempo da família Burmester),...(Ó Juca, ó João, está a faltar-me alguma?).

Sem comentários:

Enviar um comentário