segunda-feira, 1 de agosto de 2011

"Borbulhas" em S.Francº da Serra

Foi mais um encontro e prova cega do Núcleo Duro. As "borbulhas" (7 espumantes, 2 champanhes e 1 cava) vieram da garrafeira do Juca, que ofereceu o almoço e a sua casa no Alentejo. Dos duríssimos estava o Jorge de Sousa (um dos fundadores), o João Quintela, a Paula Costa, o Pedro Brandão e, é claro, o Juca. Eu fui como convidado do anfitrião. Faltou o Rui Miguel (Pingas no Copo), o outro fundador, algures em trabalho de parto...
O menú consistiu em diversas e agradáveis entradas e saídas, mas o ponto altíssimo do repasto foi um fabuloso leitão à Bairrada, saído dos fornos de um restaurante/café/casa de hóspedes, que dá pelo nome de Solar dos Leitões e fica numa terreola chamada Roncão que nem sequer vem no mapa. Meus amigos, este leitão do Roncão está muito acima dos mais afamados restaurantes da Mealhada! O único que lhe pode dar luta é o nosso conhecido Mugasa. Só por isso, vale a pena dar um salto ao Roncão, mas convém levar as coordenadas GPS bem estudadas.
Voltando ao painel, as surpresas foram o último lugar do cava e o 2º alcançado pelo vinho com "borbulhas" mais barato em prova. A minha classificação, que não coincide com a do painel :
1º Vértice Cuvée Reserva 06 - complexidade aromática, boca poderosa, elegância e personalidade (nota 17).
2º Qtª Poço do Lobo 06 - aroma a pão, bolha fina, fresco e estruturado (16,5).
3º Vértice Gouveio 04 - notas de pão quente, boa acidez, boca afirmativa, equilibrado (16+).
4º ex-aequo Filipa Pato 3 B Rosé - bolha finíssima, mousse autêntica na boca que o valorizou (16).
4º ex-aequo Champagne Jacquesson Millésime 02 - complexidade aromática, boca poderosa, prejudicado pelo gás em excesso (16).
6º ex-aequo Murganheira Assemblage 95 - saúde incrivel, aroma e boca medianos, ligeiramente adocicado desiludiu (15,5).
6º ex-aequo Murganheira Rosé - salmonado, aroma e boca interessantes (15,5)
8º Champagne Perrier-Jouêt - boa arquitectura de boca, prejudicado pelo excesso de gás e espuma (15).
9º Kompassus 08 Rosé - morto no nariz, melhor na boca, desequilibrado (13,5).
10º Cava Kripta 05 - mofo, borracha queimada, desagradável (13 com benevolência).
Com as sobremesas e, também, às cegas, foram provadas 3 "jeropigas", assim alinhadas, de acordo com o prazer que me deram :
.Artur Barros e Sousa Malvasia 86 (engarrafado em 2010) - muito
.Moscatel Alambre JMF 20 Anos (também engarrafado em 2010) - muito
.Noval Colheita 74 (engarrafado em 85) - desilusão
Obrigado Juca pelo convite, pela prova, pelos vinhos, pelo leitão e pela hospitalidade!

1 comentário:

  1. Embora não seja o mais importante,é sempre agradavel receber um elogio por algo que fizemos a bem do vinho.O convivio,a camaradagem,a boa disposição e a preciosa ajuda de todos para o sucesso do evento,são os pontos mais positivos da jornada.Obrigado a todos.Juca

    ResponderEliminar