sábado, 17 de setembro de 2011

O grupo do Raul (9ª sessão)

O grupo dos 3+4 foi agora rebaptizado para grupo do Raul, a fim de evitar charadas matemáticas. Nesta última sessão teria sido 3+4-1+2, uma confusão. Dos elementos permanentes, estiveram Raul Matos, João Quintela, Paula Costa, Rui Rodrigues, Oliveira Azevedo (Juca) e eu. Como convidados, Coelho Virgílio e António C. Ferreira. Os vinhos eram da garrafeira do João que escolheu o restaurante Colunas, já nosso conhecido, para a "rentrée" do grupo. É pertinente acrescentar que o Colunas, onde habitualmente se come bem, foi considerado, pela Revista de Vinhos, um restaurante amigo do vinho.
Foram provados 2 brancos, 4 tintos (2 velhos e 2 jóvens, sendo estes últimos em magnum) e 1 fortificado, todos rigorosamente às cegas. Desfilaram :
.Anselmo Mendes Alvarinho/Loureiro 10 (ainda sem marca comercial) - aromático, algumas notas tropicais, fresco e mineral, profundidade de boca e bom final. Tem um estilo que faz lembrar o Soalheiro 1ª Vinhas. Nota 17,5+. Acompanhou uns belíssimos cogumelos grelhados e umas gambas com garoupa.
.Crooked Vines 09 em Magnum - côr algo evoluida, fruta madura, notas de caril e baunilha, tosta, algo untuoso, bom final, muito gastronómico. Nota 17,5 (noutra situação 17,5+). Acompanhou bem um arroz de línguas de bacalhau.
.CRF Garrafeira 80 - um belíssimo Bairrada com mais de 30 anos (veio-me à memória que era um dos meus vinhos preferidos há uma boa vintena de anos atrás); aromas terciários, notas de tabaco, belíssima acidez, frescura e elegância, taninos sedosos, bom final de boca. Medalha de Ouro no 7º Concurso Nacional de Vinhos Engarrafados. O vinho da noite, para mim. Nota 18,5. Acompanhou muito bem a mesma iguaria.
.CRF 80 - infelizmente com rolha. Teve o 1º prémio no mesmo concurso.
.Vallado Reserva 08 - exuberante, muito frutado, boa acidez, concentrado, taninos bem presentes, profundidade e final longo. Tem muitos anos à sua frente. Nota 18+.
.Aalto 08 - aroma mais contido, frutado, taninos ainda algo agressivos, guloso na boca, bom final. Precisa de tempo para se harmonizar. Nota 18.
Acompanharam umas óptimas costoletas de vitela, mas a fome já não era muita.
.FMA Bual 64 - mais uma garrafa deste nectar dos deuses; frutos secos, notas de caril, vinagrinho, estrutura, profundidade e final muito longo; porque será que não nos cansamos de beber este vinho do Francisco Albuquerque? Nota 18,5+.
Mais uma grande jornada. Obrigado João.

Sem comentários:

Enviar um comentário