terça-feira, 25 de outubro de 2011

Evento Wine Bloggers na José Maria da Fonseca (JMF)

1.Preliminares
A JMF está triplamente de parabens. Antes de mais nada, por ter sido a 1ª empresa produtora de vinhos, que eu saiba, a organizar uma visita e prova de vinhos, exclusivamente dedicada aos autores dos blogues nacionais e afins. A Herdade das Servas já tinha organizado, no principio do ano, um evento similar, onde alguns bloguistas foram convidados nessa qualidade (ver crónica "A Herdade das Servas e a Blogosfera" de 22 e 23 de Janeiro 2011). Mas não foi em exclusivo, embora representassem cerca de 1/3 dos convidados.
Em 2º lugar, por nos ter sido proporcionada uma extensa e didáctica prova, uma das mais interessantes em que participei nos últimos anos. Foram provados e bebidos 24 vinhos 24!
Em 3º e último, por a família Soares Franco se ter envolvido de alma e coração, a Sofia (7ª geração) e o meu confrade Domingos (6ª geração). Obrigado e bem hajam!
2.Os participantes : bloguistas e afins
Para que conste, participaram no evento 15 bloguistas e afins, tendo outros 3 sido convidados mas que não poderam comparecer :
.Abílio Neto
.Art Meets Bacchus
.Comer, Beber, Lazer
.Copo de 3
.Enófilo Militante
.E tudo o vinho levou
.Magna Casta
.Nuno Gonçalves
.O vinho é efémero
.Os Vinhos
.Pingamor
.Pingas no Copo
.Prazeres Requintados
.Saca-a-Rolha
.Wine & Lifestyle Report
3.Recepção e Visita
Na recepção dos convidados, a Sofia referiu, muito acertadamente, o papel e a importância dos "bloggers" para a difusão da informação descomprometida dos vinhos nacionais. A JMF inteligentemente percebeu isto, contrastando com algumas vozes institucionais que não perceberam ou não querem perceber a importância da blogosfera. Posturas...
A visita foi feita à imagem e semelhança do que é habitual fazer-se com os turistas que vão conhecer a JMF. Nem mais nem menos...
4.A prova
A degustação dos primeiros 4 vinhos, foi orientada pelo Miguel Remédio (?), responsável pela área de marketing da JMF. 2 brancos Qtª de Camarate 2010, ambos a partir das castas Alvarinho e Loureiro, um seco (tropical, elegante, fresco, estruturado, o mais interessante para o meu gosto) e o outro doce (discreto, pouco expressivo, embora fino) e 2 tintos, o Qtª de Camarate 08 (floral, corpo e final médios, discreto mas agradável) e o Pasmados 08 (mais exuberante no nariz, boca mais vigorosa, guloso e bom final).
A parte mais interessante veio a seguir, sendo a prova orientada pelo responsável máximo da enologia, Domingos Soares Franco, que quis partilhar connosco algumas das experiências em que tem trabalhado. Tudo muito didáctico. Primeira surpresa, os 2 brancos de 2011, um Verdelho e o outro Verdejo, são completamente diferentes, o 1º ainda em construção e o 2º já feito, muito tropical, muita frescura e equilibrado.
Outra experiência que serviu como exercício pedagógico foi a prova da Grand Noir, fermentada de 3 maneiras diferentes, em talha, em lagares e em cuba (inox). Pareceu-me a versão fermentada em talha com o aroma mais expressivo e os taninos mais macios, a versão lagar mais rústica e os taninos algo agressivos e a versão inox a mais equilibrada. Acabei por não me aperceber o que é que o autor pensa das suas experiências.
Seguiu-se a prova de 4 vinhos de gama alta, Domini Plus 08 (floral, requintado, acidez equilibrada, estruturado e bom final de boca, o "terroir" Douro bem marcado), FSF 07 (aromático, frutos vermelhos, notas de couro, fresco, taninos macios, final médio), Periquita Superyor 08 ( provado em Maio numa outra grande jornada na JMF mantém o nível, fruta ainda presente, especiado, alguma acidez, redondo, bom final de boca) e J de José de Sousa 09 (exuberante e complexo no nariz, fino e elegante, boa arquitectura de boca e final longo; o João Paulo Martins atribuiu-lhe a nota 18, mas não o seleccionou para os melhores do ano, sabe-se lá porquê).
Seguiram-se 3 moscatéis da Colecção Privada Domingos Soares Franco, já nossos conhecidos, com o "Armagnac" 98 a passar por cima do "Cognac" 99, uma experiência polémica e pouco consensual. O Roxo 03 mostrou-se à altura dos seus pergaminhos. Finalmente, o grande Moscatel Roxo 20 Anos, engarrafamento de 2010 - um festival de aromas e sabores, melado, boca potente, embora pudesse ter um pouco mais de acidez. Ainda houve 2 Bastardinhos (2009 e 2011), mas nesta altura do campeonato é coisa para pedófilos.
5.O almoço
Foi, antes de mais, um são e bem disposto convívio entre os donos da casa e seus convidados. Em relação ao almoço em si, nada de novidades. Já conheço esta agradável ementa desde há algum tempo. Mas, no entanto, há algo que discordo frontalmente, a introdução do queijo no início do repasto, como se fosse um aperitivo. Infelizmente não é caso único, pois na restauração há este hábito de porem em cima da mesa, como couvert, queijo de entorna, seja Azeitão, Serra ou Serpa. Não funciona. Mais vale apresentá-lo no fim e acompanhá-lo com um branco untuoso, com uma ligeira oxidação e pleno de acidez. Fica a matar. Experimentem. Este branco, Pasmados 08, já o tinha provado na JMF há cerca de meio ano. Está fabuloso e tem um perfil de branco que adoro. Pena é que nalgumas garrafas esteja completamente oxidado e praticamente imbebível. O Hexagon 03, servido em magnum, é o menos interessante dos vinhos de topo da JMF e pareceu-me com uma acidez volatil excessiva. O Bastardinho 30 Anos, engarrafado em 2008, sedutor no aroma, tem uma boa acidez, boca poderosa e final muito longo. Finalmente, a surpresa da tarde, o Moscatel Superior 55, engarrafado em 2011 - muito complexo no nariz e na boca, notas de frutos secos, iodo e caril, estrutura, profundidade e final interminável.Para beber com todo o respeito. Foi uma das 50 garrafas da reserva do produtor, as outras 100 vão ser leiloadas.
Embora seja meu hábito pontuar os vinhos que provo e registá-los para os hierarquizar e comparações futuras, nem sempre as difundo. Mas, no caso deste 1955, não resisto. Nota 19,5.
Mais uma grande e louvável jornada. Parabens à JMF pela aposta na blogosfera. Obrigado confrade Domingos.

4 comentários:

  1. Estimado Francisco o Esporão também já realizou um evento desta natureza: http://pingasnocopo.blogspot.com/2009/10/herdade-do-esporao-e-os-bloggers.html
    Julgo que foram os primeiros.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela informação. Não me tinha apercebido desse evento.

    ResponderEliminar
  3. Excelente crónica Francisco.

    Um belíssimo dia, onde tive o prazer de pessoalmente conhecer muitos de vós que me muito me têm ensinado com as vossas sábias palavras.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelas suas palavras, Mário Silva. Ainda bem que gostou. Foi de facto uma grande jornada.

    ResponderEliminar