quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Qtª da Fonte Santa revisitada

A convite do amigo Alfredo Penetra, voltámos a almoçar no Refeitório da Qtª da Fonte Santa, propriedade do Banco de Portugal. O chefe Nuno Canilho (ver crónica de 14/3/2011) já não trabalha ali, tendo sido substituido pelo nº2, Filipe Marques, que passou a pontificar na cozinha, mas sem largar a orientação da sala, aqui ajudado pela Vanessa, a sua simpática cara metade.
Os vinhos eram da garrafeira do Alfredo, champanhe, branco e generoso e portaram-se todos bem.
O repasto iniciou-se com o President Germain Bruto não datado, completamente desconhecido entre nós, com base nas castas Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay. Bolha fina e persistente, aroma a lembrar pão fresco, notas florais, fresco e estruturado. Uma boa surpresa. Nota 17,5. Acompanhou um agradável cocktail de camarão.
Seguiu-se o Val d'Algares Alvarinho 09, um bom exemplar da casta, embora longe do seu berço de origem. Exuberante no nariz, presença de citrinos e notas tropicais, fresco e elegante, mas também a sentir-se alguma gordura na boca, final prolongado. Mais uma boa surpresa. Este produtor ribatejano está a fazer brancos consistentes e com muita qualidade. Nota 17,5+.
Bateu-se bem com uma inesquecível garoupa no forno. Comeu-se, repetiu-se e, ainda, levámos as sobras para casa.
Finalmente, encerrámos com o Dalva 30 Anos (eng. em 2009). Aroma complexo, com frutos secos em evidência, taninos firmes, profundidade de boca e final interminável. Não o troco por vintages com a mesma idade. Nota 18. Foi a companhia ideal para a sobremesa, um strudell de maçã com gelado de baunilha. O Filipe Marques está de parabéns e à altura das novas responsabilidades.
Mais uma boa jornada. Obrigado Alfredo!

Sem comentários:

Enviar um comentário