quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vinhos em família (XXIII)

Desta vez foram todos tintos, 3 Douro, 1 Alentejo que me surpreendeu e 1 de Pegões barato e com qualidade. Todos bebidos em família, sem a pressão da prova cega. Vamos então às minhas impressões.
.Qtª do Crasto T.Nacional 03 - estagiou 18 meses em barricas de carvalho francês; floral, elegante, madeira bem integrada, notas de couro e tabaco, estruturado e bom final de boca, rolha muito boa; aguenta mais 3/4 anos em forma; pede um prato não demasiado intenso. Nota 18 (noutra situação 18+).
.Vallado Reserva 05 - 17 meses em meias pipas de carvalho francês; notas florais, alguma fruta, madeira discreta, taninos presentes sem arestas, bom final de boca, muito gastronómico, mais 4/5 anos apetecível. Nota 17,5 (noutra 17,5+).
.Passagem Reserva 07 - resultado de uma parceria entre a Qtª de La Rosa e o Jorge Moreira; frutos vermelhos, fino, super elegante, boa acidez, taninos equilibrados e bom final de boca; falta-lhe tempo para atingir a maioridade, mais 7/8 anos. Uma marca a reter, até porque tem um preço cordato. Nota 17,5.
.Qtª do Carmo Reserva 05 - 12 meses em barrica de carvalho francês; nariz austero, surpreendentemente fresco, taninos presentes, profundidade de boca e bom final; um tinto alentejano ainda longe da reforma, aguentando mais 4/5 anos. Nota 17,5.
.Adega de Pegões Colheita Seleccionada 08 - 12 meses em meias barricas de carvalho francês, nariz exuberante, muito frutado, taninos aveludados, guloso e bom final de boca; muito agradável, é pena não ter mais acidez (o contra-rótulo afirma que envelhece bem durante 10 anos; não me parece). Nota 16,5.

Sem comentários:

Enviar um comentário