segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Almoço no 5 Jotas Gourmet

Espaço agradável no último piso do Corte Inglês, mesas sem atoalhados, mas com guardanapos de pano. Tanto se pode petiscar com se pode fazer um refeição mais completa; é só optar pelas tapas, meias doses ou doses. A ementa está bem construida, desdobrando-se em presunto, paleta, cana e paiola, queijos e, ainda, para petiscar, à colher, do mar, da capoeira e da serra. Há muito por onde escolher. Quando da minha visita optei por tapas, que incluiram presunto ibérico puro de bolota, pimentos padron, cozido da Serra de Aracena e tortilha de escombro. Tudo aceitável, mas nada que me tivesse apaixonado.
A carta de vinhos aposta forte nas bebidas a copo, contemplando 2 com borbulhas (champanhe e cava), 5 Xerez, 5 brancos, 2 rosés e 4 tintos. As marcas eram, para mim, totalmente estranhas, não incluindo nenhum dos mais badalados dos nossos vizinhos. Copos aceitáveis, serviço despachado, mas não muito rigoroso (a garrafa vem à mesa, mas o vinho não é dado a provar e a quantidade é servida a olho).
Provei um copo de um branco de Cádiz, Gadir 2010, com 60% de palomino e 40% de chardonnay. Achei-o austero, pesado, pouco elegante e com o álcool muito evidente.
Na próxima vez, levarei debaixo do braço um guia de vinhos espanhois do João Paulo Martins lá daquelas bandas!

1 comentário:

  1. o pessoal para esquecer, a "tortilla" é de batata cocida o vinho bom (Rioja) e caro, o presunto tem dias...........o futuro da tasca esta escrito, querem apostar?, de pano os guardanapos? voltar?......para que?

    ResponderEliminar