quinta-feira, 8 de março de 2012

A colheita de 2002

Penso que passou um pouco ao lado dos enófilos, o painel de prova com tintos de 2002, organizado pela Revista de Vinhos (RV), cuja reportagem, com o elucidativo título "Pérolas de uma vindima difícil", foi publicada em Fevereiro deste ano, com resultados surpreendentes. Mas como este nº da RV era dedicado, quase em exclusivo, aos Melhores do Ano 2011, aquele painel ficou algo marginalizado. Talvez fosse melhor publicar estes paineis em meses mais pacatos, que não em Fevereiro.
Eu também alinhei na desconfiança em relação à colheita de 2002 e não investi em vinhos deste ano. Pelos vistos fiz mal. Da minha garrafeira provei no decorrer do ano 2011: Charme (nota 18,5 ver crónica de 2/4), Qtª do Vale Meão (nota 18 crónica de 18/3) e Pintas (nota 18 crónica de 9/6).
Tenho andado a consumir regularmente as colheitas de 2000, 2001, 2002, 2003 e anteriores. De quando em vez não resisto aos tintos de 2004 e vou testando a 2005. A fabulosa colheita de 2007 ainda terá que aguardar algum tempo e considero impensável abrir as minhas garrafas de 2008 ou 2009.
Mesmo nos brancos prefiro-os com algum tempo de garrafa, apostando nas colheitas de 2008 e 2009.

Sem comentários:

Enviar um comentário