quarta-feira, 28 de março de 2012

Francisco Olazabal (Vito) : 17 anos depois

Esta é mais uma pequena história para partilhar com os leitores deste blogue. Conheci o Vito (não, confundir com o Xito, o filho com o mesmo nome do pai) há praticamente 17 anos. Ou, para ser mais preciso, conheci-o em 28 de Abril de 1995, no Jantar "Casa Ferreirinha", organizado pela Revista de Vinhos no Restaurante English Bar (hoje Cimas), no Monte Estoril.
Eu, na altura, já era sócio do Reserva 1500, clube de vinhos da Sogrape. E, nessa qualidade, tinha encomendado alguns vinhos experimentais da Casa Ferreira, concretamente Casco 27 e Moscatel Quinta do Seixo, de colheitas que já não recordo, que não me foram enviados por ruptura de stock. Dei conhecimento ao Vito (como é carinhosamente conhecido) desta minha frustação, tendo-me pedido o contacto. Que iria ver, foi a resposta. E não pensei mais no assunto.
Um mês depois, qual foi a minha surpresa ao receber em minha casa, uma garrafa de cada um dos vinhos, acompanhada por uma carta da Administração da A.A.Ferreira,S.A., assinada pelo Francisco Olazabal. Não estava nada à espera, pois tinhamos acabado de conhecer. Embora já tivesse alguma militância enófila, não estava no meu projecto de vida profissionalizar-me. Uma atitude destas, só vinda de um grande senhor, que ele é!
Nessa carta, o Vito confessava que tinha obtido as garrafas por "métodos inconfessáveis" e dizia "peço-lhe que não envolva o meu nome nesta aquisição!". Ó Vito, desculpe lá a inconfidência, mas já passaram tantos anos e já ninguém pode levar a mal. Bem haja pela sua atitude!
Todos fossem assim e este mundo seria bem melhor.
Para memória futura, passo a transcrever a ementa e os vinhos provados nesse jantar :
.Porto Ferreira Branco Doce c/ aperitivos
.Qtª dos Carvalhais Branco 1993 c/ vol au vent de gambas com cogumelos
.Reserva Especial 1986 c/ costela de vaca na grelha
.Ferreira Vintage 1982 c/ queijo da Serra
.Qtª do Porto 10 Anos c/ tarte de maçã
.Aguardente Velha Chancella c/ café

1 comentário: