terça-feira, 20 de março de 2012

Vinhos em família (XXX)

Mais meia dúzia de vinhos, 3 brancos e 3 tintos, provados em família ou com amigos. Com excepção de 1 tinto, estavam todos em grande forma.
.Morgado Stª Catherina Reserva 08 - estagiou 9 meses em barricas de carvalho francês; complexidade aromática, notas tropicais, melão e alperce, madeira discreta, acidez equilibrada, alguma mineralidade, estrutura e bom final de boca, gastronómico, no apogeu mas aguenta bem mais 3/4 anos; para mim, o melhor branco português em relação preço/qualidade e não só. Nota 18 (noutras situações 14,5 (garrafa avariada?)/17/17,5+/17,5+/17,5+/17,5+/18)
.Passagem 10 - um branco resultante da parceria do Jorge Moreira com a Qtª de La Rosa, a partir de uma vinha velha; aromático, frutado, mineral, fresco, elegante e equilibrado, com alguma gordura e bom final; bom para a meia estação, aguenta mais uns anos. Nota 17,5+.
.Muros Antigos Alvarinho 10 - nariz exuberante, notas tropicais, presença de citrinos, muito fresco, bom final; bebido no restaurante Mar do Inferno, com uma travessa do mar. Nota 17,5 (noutra 16,5+)
.Qtª de Roriz Reserva 05 - estagiou 10 meses em cascos novos de carvalho francês; complexidade aromática, ainda com fruta vermelha, especiado,fresco e elegante, madeira discreta, taninos finos, estrutura e bom final de boca; ainda está longe da reforma; uma aposta segura, excelente relação preço/qualidade. Nota 18.
.Pintas 05 - vinificado em lagar, a partir de vinhas velhas; fino e legante, especiado, notas de tabaco, couro e chocolate, acidez equilibrada, taninos ainda presentes mas polidos, arquitectura e bom final de boca; rolha excepcional; a beber com prazer mais 4/5 anos. Nota 18+ (noutras 18/17,5/18,5).
.Qtª do Soque 08 - um tinto do Douro simples e descomplexado; fruta, acidez equilibrada, taninos algo rugosos, corpo e final médios; para despachar. Nota 15.

Sem comentários:

Enviar um comentário