quarta-feira, 18 de abril de 2012

Novo Formato+ (4ª sessão)

Esta 4ª sessão decorreu na residência Paula Costa/João Quintela, que ofereceram o repasto e os vinhos. O vinho de boas vindas, que acompanhou umas tapas e frutos secos, foi o espumante Qtª das Bágeiras Grande Reserva 03. Já na mesa provou-se, em ante-estreia, o Três Bagos Sauvignon 2011, acabado de engarrafar, no seu estilo habitual, a pedir uns meses de garrafa antes de ser consumido.
Isto foi a fase de aquecimento, pois a parte mais substancial, a prova cega de 4 grandes vinhos, seguiu-se-lhe uns momentos depois. Tratou-se de um confronto Portugal/Espanha, ou mais concretamente, Douro/Ribera del Duero, ou especificamente, descodificados os vinhos, Pintas/Aalto (colheitas de 2007 e 2008). Bela prova, com o Aalto a impor-se e a ferir o nosso orgulho nacional. Acontece aos melhores...
As minhas impressões sobre os vinhos provados:
.Pintas 08 - notas vegetais, algo metálico, taninos ainda agressivos, longo final de boca; esperávamos mais deste vinho, mostrou uma evidente falta de harmonia, mas pode ter sido desta garrafa. Nota 17.
.Aalto 08 - nariz intenso, notas florais, especiado, chocolate, acidez no ponto, grande estrutura de boca, final extenso; harmonia e equilibrio. Nota 18,5.
.Pintas 07 - aroma complexo, notas florais, acidez presente, estrutura de boca, persistência final; elegante e sofisticado; uma menos-valia, o álcool excessivo (15% vol). Nota 17,5+.
.Aalto 07 - nariz discreto, acidez equilibrada, madeira discreta, boca potente, final muito longo; todo ele harmonioso. Nota 18+.
A acompanhar, inicialmente cogumelos estufados(?) e ovos de codorniz com salpicão e, no seguimento, várias e deliciosas carnes no forno. Tudo 5 estrelas.
A finalizar o repasto, com duas excelentes sobremesas, mais uma garrafa do Malvazia 1879, seguramente a que mais me agradou de umas tantas já provadas noutras ocasiões - aroma muito intenso, frutos secos, notas de iodo, caril e brandy, vinagrinho, um toque de garrafa, estruturado, final muito longo; uma saúde invejável para um vinho com mais de 130 anos! A Madeira no seu melhor. Nota 18,5,
Grande jornada de convívio, comeres e beberes. Obrigado Paula e João!

Sem comentários:

Enviar um comentário