sexta-feira, 18 de maio de 2012

Lisbon Restaurant Week (I)

Aproveitando esta simpática campanha dos 19+1 €, fui conhecer um restaurante aberto há pouco tempo em Paço de Arcos (o Claro!) e revisitar outros 2, saídos da minha rota há já uns tantos anos (Bica do Sapato e Papa Açorda). O responsável pela cozinha do Claro! é o Vitor Claro, vindo do Hotel Albatroz. Já o conhecia de outras andanças, o Pica no Chão e a Herdade da Malhadinha. O ambiente é requintado e tem uma esplanada espectacular virada para o Tejo, que não pudemos usufruir. Chovia naquele dia.
Pratica uma gastronomia demasiado arrojada, com pratos bem concebidos e outros nem tanto, o que pode ser um risco e afastar os indefectíveis da cozinha mais tradicional. Para dar uma ideia do que estou a dizer, no menu degustação que veio para a nossa mesa, constava papada de porco preto com melão, coscorões de alheira e croquetes de vitela, mexilhão com ácido cítrico, ovo holandês, bacalhau à Conde da Guarda e tomate granizado, canja de galinha e foie gras de pato, queijo fresco grelhado, leite creme, nutella e laranja amarga e, a fechar, trufas. Serviço com muito bom ritmo. Tudo isto por 20 €, incluindo o couver e água. Pago à parte o vinho a copo (6,00) e o café.
Bebeu-se o branco Qtª de Saes Reserva 10 - frutado, com evidentes notas de citrinos, fresco, elegante e equilibrado; a meio caminho entre os brancos de verão e os de inverno; a excelente acidez vai prolongar-lhe a vida. Nota 16,5. A garrafa veio à mesa e o vinho dado a provar. Copos Riedel, pois claro!  Servido a olho, achei que a quantidade ficou abaixo do normal. Foi a minha única reclamação.
A carta de vinhos, com base no portefólio dos Projectos Niepoort, é muito criativa e original. Preços razoáveis, tendo em atenção a qualidade do espaço.

Sem comentários:

Enviar um comentário