quarta-feira, 16 de maio de 2012

Matar Saudades...

Matar Saudades é o título de um filme, realizado em 1988 pelo meu amigo Fernando Lopes, recentemente falecido. O cinema português ficou mais pobre e os militantes do cinema, como eu, de luto. E o que é que isto tem a haver com o vinho? Bem, o Fernando Lopes foi uma das figuras públicas que esteve presente quando da  inauguração das CAV, em 27 de Setembro de 1996. Foi por ele próprio e, também, em representação da Maria João Seixas, sua mulher. Onde quer que  estejas, obrigado Fernando!
E matar saudades, foi o que nós (o Juca, eu as respectivas)  fomos fazer ao Douro, em resposta aos simpáticos convites para almoçarmos na Qtª da Casa Amarela (2ª feira) e na Qtª do Crasto (3ª feira). Grandes jornadas, repletas de amistosos convívios, bons comeres e alguns vinhos de excepção. Para memória futura, registo aqui o que bebemos nestas duas jornadas, sem as habituais notas de prova nem classificações:
.na Qtª da Casa Amarela: Rosé e Branco 2011, Reserva 2009, Porto 10 Anos e, ainda, uma amostra do futuro Dona Francisca 2010 (resultante de uma parceria com um novo produtor);
.na Qtª do Crasto: Branco 2011, Tintos 1999 e 2010, Vinhas Velhas 2009, Maria Teresa 2003 em Magnum, Portos Finest Reserve e LBV 2006 e, ainda, o Touriga Nacional 2010 (amostra de casco). Também provámos os 2 azeites desta quinta, Premium e Selection.
Obrigado Laura e Gil Regueiro!
Obrigado Tomás Roquette!

Sem comentários:

Enviar um comentário