quarta-feira, 2 de maio de 2012

O grupo dos 3 (22ª sessão)

Mais uma prova às cegas, com os meus amigos Juca (ex-CAV) e João Quintela (Garrafeira Néctar das Avenidas). Esta 22ª sessão foi da minha inteira responsabilidade. Os vinhos sairam da minha garrafeira e o espaço foi escolhido por mim. Optei pelo Bg Bar, já aqui referido (ver crónica de 20/12/2011), que sucedeu ao Nariz de Vinho Tinto, A Commenda, Assinatura, Xico's (entretanto encerrado), Manifesto, Sem Dúvida e Casa da Comida (temporariamente fechada). Todos com um serviço de vinhos de qualidade.
O Bg Bar é gerido pelo Pedro Batista ( primo do nosso amigo Rui Miguel, responsável pelo blogue Pingas no Copo), que dirige uma equipa muito profissional. Como mais valia, conta com a colaboração do Rodolfo Tristão que, aliás, apoiou tecnicamente a nossa prova. O Rodolfo, professor na Escola Hoteleira do Estoril, é consultor enogastronómico do grupo, já representou Portugal  no Concurso Mundial de Escanções, em 2010, publicou o livro "À Descoberta do Vinho" e  é o responsável pelo blogue Poetas do Vinho. Um currículo invejável.
Ó responsáveis da Revista de Vinhos, para quando o selo de restaurante amigo do vinho? Eles merecem!
Mas vamos à prova. Escolhi 2 vinhos do Buçaco (1 branco e 1 tinto), completamente desconhecidos para todos nós. Aposta arriscada, mas aposta ganha. Veio ainda outro tinto do mesmo ano, este já consagrado e um Madeira de grande classe.
.Buçaco Reservado Branco 07  - frutos secos, notas abaunilhadas, untuoso e fresco, acidez bem presente, austero, seco na boca, notas fumadas, estruturado e bom final de boca; muito gastronómico e com grande personalidade; talvez o melhor branco provado este ano; aguenta mais uns anos em forma. Nota 18. Acompanhou uma série de pequenas entradas (quenelles de requeijão, saladinha de polvo, meia desfeita de grão e bacalhau e cogumelos aveludados no forno).
.Buçaco Reservado Tinto 06 - discreto no nariz, muito seco na boca, especiado, pouco concentrado, acidez equilibrada, final longo. Prevejo-lhe longevidade, talvez mais 7/8 anos. Nota 17,5.
.Qtª do Mouro Rótulo Dourado 06 - mais exuberante no nariz, especiado, notas de chocolate e tabaco, boa acidez, taninos bem presentes, arquitectura e bom final de boca. Em forma mais 5/6 anos. É sempre um prazer beber este alentejano. Nota 18,5. Os 2 tintos foram acompanhados por um bife da vazia bem suculento.
.Cossart Gordon Bual 69 (exemplar nº 1516 de 2000, engarrafado em 2004) - aroma exuberante, frutos secos, figos, iodo, vinagrinho, estrutura e final interminável; elegância e personalidade. Nota 18,5+. Bem acompanado por crumble de maçã.
Oportunamente darei notícia mais detalhada sobre estes vinhos do Buçaco.
A concluir, recomendo este Bg Bar, pela situação, simpatia e competência profissional. Estejam atentos, pois organizam provas e jantares vínicos.

3 comentários:

  1. "Ó responsáveis da Revista de Vinhos, para quando o selo de restaurante amigo do vinho? Eles merecem!"

    Não, não conte com isso. Estive lá em parte pela sua recomendação e foi um desastre. 45 minutos à espera de duas entradas, outros 45 à espera de 4 pratos, é mau de mais! O polvo à lagareiro vinha inundado em azeite e com as peles deste penduradas, tipo versão morte-vivos. É verdade que os funcionários são simpáticos e desfazem-se em desculpas, mas isso não chega para recomendar um espaço.

    ResponderEliminar
  2. Ó João Geirinhas, mas afinal sobre o serviço de vinhos não disse nada...

    ResponderEliminar
  3. Porque não tinha muito para dizer. Carta em ipad com uma lista não muito longa - bebi um Sauvignon Blanc da LF -, copos aceitáveis, serviço simpático mas algo distraído...
    É pouco para uma recomendação.
    Provavelmente fui num mau dia. O espaço (bonito, boa localização) também parece mais vocacionado para refeições ligeiras ou snacks do que propriamente para almoçar ou jantar. Talvez nesse registo a coisa funcione melhor.

    ResponderEliminar