sexta-feira, 8 de junho de 2012

A Confraria do Periquita

Do portal da José Maria da Fonseca, transcrevo "Criada em 1993, a Confraria do Periquita homenageia todos aqueles que se destacaram na divulgação e na consolidação do prestígio deste vinho". É possivel que tenha sido o meu caso, ao ser entronizado Confrade em 2001, por sinal o mesmo ano que as CAV foram consideradas, pela Revista de Vinhos, a Garrafeira do Ano.
Estive presente no Vigésimo Grande Capítulo Anual, reunido no passado dia 31 de Maio, em que foram entronizados mais uns tantos Confrades e Confreiras, nacionais e estrangeiros. A título de curiosidade, um dos entronizados foi o Rui Falcão, na qualidade de crítico de vinhos.
Durante a cerimónia foi apresentado e provado o Periquita tinto 2011, não se esgotando neste vinho as bebidas que fomos usufruindo, ao longo da sessão. Iniciei as actividades com o Domingos Soares Franco Verdelho 2011 e, no decorrer do animado jantar, foram servidos Qtª de Camarate Branco Seco 2011 (mais ao meu gosto) com a tradicional Sopa de Ervilhas à Soares Franco, Domingos Touriga Nacional & Syrah 2009 (está muito ao gosto internacional e só se vende nos EUA) com Lombo de Novilho à alsaciana do antigo Belcanto, da responsabilidade do chefe José Avillez, Periquita Superyor 2008 (um belíssimo castelão) com Queijo de Azeitão (aliás de muita qualidade, mas não subscrevo esta ligação), Bastardinho de Azeitão 30 Anos (o vinho da noite, para mim) com uma Triologia de Sobremesas, e, a fechar, Aguardente Espírito (que não provei) com o café.
Um desabafo: doeu-me a alma ao ver alguns confrades a continuarem com o tinto, quando tinham à sua frente um excelente Bastardinho, que menosprezaram.
A história repete-se e, daqui por um ano, lá estarei para o Vigésimo Primeiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário