quinta-feira, 21 de junho de 2012

Petiscos em Lisboa (II)

A recente "Taberna da Rua das Flores" cabe neste conceito que se está a espalhar por Lisboa. É um local onde se pode petiscar produtos de qualidade e, quase sempre, provar vinhos a copo. O mentor desta taberna é o André Magalhães, figura conhecida no meio, pois dirigiu o restaurante do Clube dos Jornalistas,  durante uma série de anos. A ideia foi recriar a gastronomia das tascas de Lisboa e o ambiente que se vivia há algumas décadas atrás. A oferta gastronómica e vínica está bem patente numas tantas ardósias, aliás de acordo com o espaço e a informalidade. Tábua de queijos, enchidos e conservas são apostas da casa. Mas também alguns pratos tipicamente alfacinhas, como jaquins de escabeche, meia desfeita de bacalhau e iscas com elas. As iscas, de que gosto particularmente e difíceis de encontrar nos nossos restaurantes, foram o chamariz para eu conhecer este espaço. Posso e devo testemunhar que estavam divinais! Comi, ainda, caldo verde, servido em bacia de esmalte (!). A não perder o pão artesanal para molhar no azeite que põem na mesa.
Até aqui tudo bem, mas o pior é quando se entra na área vínica. A lista de vinhos, a ler na ardósia, apenas contempla 5 ou 6 referências da região Lisboa e, a copo, só o da casa. Copos mais ou menos atabernados, tintos servidos à temperatura ambiente. Uma pena, pois a gastronomia que aqui se pratica merecia bem melhor. A lista poderia ser alargada a vinhos de outro patamar (estou a lembrar-me das marcas Chocapalha e Qtª Monte d' Oiro, por exemplo) e os copos deveriam ter alguma qualidade para quem quisesse apreciar uma boa pinga. Ó André Magalhães, era escusado levar tão a peito a recriação de uma tasca do antigamente!
De qualquer modo, vale a pena conhecer este espaço e degustar as iscas com elas.

Sem comentários:

Enviar um comentário