sábado, 16 de junho de 2012

Vinhos Fortificados: as minhas preferências

Vem esta crónica a propósito de um artigo do jornalista  Pedro Garcias, publicado no Fugas no sábado anterior (9/6). Escreve ele a determinada altura "O consumidor dos Estados Unidos já está a trocar o LBV e o Porto Vintage (...) pelo Porto Tawny (...), como sublinhou o director da revista Wine & Spirits, Joshua Greene, na semana passada, em Vila Real (...)". Uma decisão que já tomei há muitos anos,pois um Vintage requer muito mais cuidados, enquanto um tawny de idade ou um colheita é muito mais flexível. Mais, enquanto um Vintage é uma roleta, pois tanto pode estar muito bom como ir, de imediato, para a pia, o tawny é sempre um valor seguro. O mesmo se aplica aos Frasqueiras (Madeira monocasta com o mínimo de 20 anos de casco) e aos moscatéis velhos.
No último balanço que fiz dos meus Quadros de Honra (QH), onde contabilizo os fortificados aos quais atribuí 18,5 ou mais (ver crónica de 26/12/2011), as minhas preferências são:
1º - Frasqueiras, com a casta Bual e a marca Blandy a liderarem com 50% do total dos Madeiras - 31 entradas no QH
2º - Porto Tawny (Colheitas e tawnies com 30 e mais de 40 anos), onde se impõem as marcas Burmester, Noval e Wiese & Krohn - 22
3º - Moscatéis velhos, onde a José Maria da Fonseca faz o pleno - 12
4º - Porto Vintage - simplesmente 8
Imodéstias à parte, neste campo, estou à frente dos americanos!

1 comentário:

  1. Eu diria estamos,pois estou 100% de acordo contigo.Não tenho aqui disponiveis dados estatisticos,mas não devem ser significamente diferentes dos teus.Ainda ontem no Almoço do Novo Formato e que foi da tua responsabilidade,obsequiaste-nos com um V.Porto "celestial" um Colheita Burmester de 1955 , sem comentários - 19 valores.Mas o meu Q.H. tem maioritariamente FRASQUEIRAS,principalmente Buais e alguns Verdelhos,estando os Malvasia e Serciais em minoria.E que tal brindarmos com o sempre garantido Bual da Madeira Wine de 1977 (engarrafamento de 2007)? Juca

    ResponderEliminar