quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Petiscos em Lisboa (VII)

Mesmo ao lado do Sol e Pesca (R.Nova do Carvalho, ao Cais Sodré), abriu há pouco tempo mais um espaço de petisqueira. Chama-se Povo, tem uma ementa deveras original e comida, à base de petiscos, bem saborosa. Para além do Povo do dia (um prato diferente de 2ª a 6ª), a casa oferece os chamados Almoços do Povo, cada um deles composto por 3 petiscos, em porções mais que suficientes para ficarmos satifeitos. Tanto pode ser o Povo Operário (salada de favas e chouriço, pica-pau e bolo do caco com painho alentejano e queijo de Niza), que foi a minha opção, como o Povo Camponês, Marinheiro, Rico, Vaidoso ou Vegetariano, variando os preços de 8 a 14 € para doses individuais ou de 14,50 a 25 €, no caso de 2 pessoas escolherem a mesma ementa. Tem, ainda, 14 variedades de petiscos de 3,20 € a 10,20 € e 9 de tostas, pregos e bifanas. Muito por onde escolher, portanto.
Quanto a vinhos, a lista contempla 2 espumantes, 7 brancos, 8 tintos, 1 rosé, 1 Porto e 1 Madeira. Nenhuma datação e preços algo puxados para este tipo de espaço. A oferta a copo é praticamente inexistente (2 brancos e 2 tintos), uma incongruência para quem aposta na petisqueira.
Optei pelo Niepoort Ubunto!! 2008 (3,60 €, o que é um preço aceitável) - edição alusiva ao mundial de futebol na Africa do Sul; fruta preta, álcool muito evidente e algo rústico. Prejudicado pela temperatura a que foi servido. Nota 14,5.
Os copos são bons, a garrafa veio à mesa, mas o vinho não foi dado a provar. A quantidade, servida a olho, foi generosa. O serviço, de um modo geral, foi eficiente e simpático.
É um espaço a recomendar, mas temos que estar atentos à temperatura do vinho escolhido.

Sem comentários:

Enviar um comentário