segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Rescaldo da ida ao Norte (II)

Continuando em Guimarães fui conhecer o Prós & Contras, situado no edifício do teleférico. É o sítio ideal para pousar depois de um passeio matinal pelo Parque da Penha. Espaço moderno, decoração minimal, mesas bem aparelhadas, copos de qualidade, ambiente requintado, serviço eficiente e simpático. O que se pode mais exigir?
Como parece ser habitual em Guimarães, a ementa aposta forte na área petisqueira, aqui em versão moderna com inspiração do país vizinho. Degustámos cogumelos recheados com legumes, gambas à guilho, revuelto de setas e gambas e revuelto de bacalhau. Com excepção dos cogumelos, algo insípidos, os restantes petiscos estavam muito bons, tanto no paladar como na apresentação.
Quanto a vinhos, a lista está bem seleccionada e os preços são convidativos. Lamentavelmente, os anos de colheita estão ausentes. A copo só os da casa, o que é manifestamente insuficiente. À consideração dos donos deste agradável espaço. Perante o meu manifesto desagrado perante tal situação, o proprietário (chefe João Silva) mandou abrir uma garrafa do tinto Altas Quintas Crescendo 2008, que veio para a mesa à temperatura ambiente. Nova reclamação rapidamente corrigida, ao mergulharem a garrafa num balde com água e gelo. Cobraram 4 € por cada copo, o que é aceitável naquele tipo de restauração.
Este Crescendo está ainda muito frutado, possui acidez para lhe dar vida durante mais 2/3 anos, mostrou complexidade, estrutura e final médios. Cumpriu a sua missão.
Como conclusão, é pena que o sector vinhos não esteja à altura da cozinha e do ambiente que ali se respira. De qualquer modo, aconselha-se a visita ao restaurante e o passeio no teleférico.

Sem comentários:

Enviar um comentário