quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Almoço na Cantina da Estrela

Confesso que tinha alguma curiosidade em conhecer este tão badalado restaurante, pertencente ao Hotel da Estrela, e que se auto intitula restaurante de bairro que, obviamente, não o é. A visita foi feita há mais de 1 mês, em plena época pré-antibiótica. Tem um conceito curioso e algo polémico, com os preços dos pratos e serviços a oscilarem entre um máximo e um mínimo. Como não quiz fazer figura de sovina nem de rico, fui pela média, embora considere que esta estará inflacionada e, de algum modo, se paga sempre acima do valor real. Segundo percebi, a maior parte do pessoal visível na sala ainda frequenta a Escola Hoteleira a que pertence o restaurante. Situação idêntica, passar-se-á na cozinha.
A sala da Cantina é um espaço desafogado, branco e luminoso, com as mesas suficientemente longe umas das outras, embora o bruá das conversas chegue a todo o lado. Mesas despojadas e guardanapos de papel, o que não se compreende de todo.
A carta de vinhos, com tudo devidamente datado e preços elevados, prima pela originalidade do conceito, dividindo-se por "elas e o vinho", "empresários, artistas e outras estrelas", "vinhos de garagem", "no fundo o importante é a família" e "os nossos clássicos". Contabilizei 6 espumantes, 14 brancos, 50 tintos, 2 rosés, 6 Vintage, 1 LBV e 1 Tawny 20 Anos. A oferta de vinho a copo tem outra originalidade: todas as garrafas abaixo dos 20 €, podem ser bebidas nesse formato, sendo o custo respectivo 1/4 do valor da dita garrafa. No mínimo, curioso!
Bebi um copo do tinto Passagem 2008 (5 €) - notas florais, pleno de frescura e elegância, acidez q.b. (sente-se aqui a mão do Jorge Moreira, responsável pela enologia), alguma estrutura e final de boca médio. Nota 16.
A garrafa veio à mesa, o vinho dado a provar e servido a olho num  copo Schott, a uma temperatura irrepreensível. Serviço correcto e eficiente. Já o mesmo não posso dizer da cozinha, excessiva e incompreensivelmente demorada (a sala nem sequer estava cheia...). Falta dizer que comi um muito aceitável polvo grelhado com batata doce.
Se voltar, farei figura de pelintra, pois a isso o Gaspar me vai obrigar!

Sem comentários:

Enviar um comentário