terça-feira, 4 de junho de 2013

Jantar Quinta da Sequeira

Mais um jantar vínico organizado pela Garrafeira Néctar das Avenidas, desta vez em parceria com o Guarda Real, restaurante do Real Palácio Hotel, já aqui referido nas crónicas "Lisboa Restaurant Week : a confirmação e a surpresa" e "O núcleo dos enomadeirenses", publicadas em 11/4/2011 e 18/5/2013, respectivamente. Estiveram presentes os produtores Mário Cardoso e Maria da Graça, tetraneta do fundador.
Esta parceria funcionou em pleno, não só pela qualidade da ementa, como também pelo serviço de vinhos, a cargo de alguns séniores e de uma equipa feminina júnior, atenta, simpática e profissional. Os copos eram bons e as temperaturas as adequadas. A cereja em cima do bolo: o repasto decorreu numa bonita e acolhedora esplanada interior.
Mais: o antigo núcleo duro das CAV e afins marcou presença significativa, com 28 participantes em 35, ou seja, 80 % do total.
Antes do jantar e numa outra sala, foram provados 2 vinhos de 2012 (branco e rosé), acompanhados de uma série de bons canapés. Serviço eficiente e a bom ritmo. Durante o repasto, desfilaram os seguintes vinhos Quinta da Sequeira:
.Grande Reserva 2011 branco - obtido a partir de vinhas velhas, com base nas castas tradicionais, onde a Rabigato é maioritária; estagiou 6 meses em barricas novas de carvalho francês, dando origem a 1500 garrafas; fruta madura, madeira discreta, um bom equilibrio entre a acidez e a untuosidade, estruturado e final longo. Para mim, o vinho da noite e merecedor de todos os prémios (foi considerado o melhor branco do Douro Superior em prova, em concurso recente). Nota 18.
Fez-lhe companhia um filete de peixe galo com risoto de tomate seco.
.Tinto 2011 (servido decantado) - a partir das castas tradicionais, com predominância da Touriga Nacional (40 %), estagiou 6 meses em barricas usadas de carvalho francês; nariz discreto, fruta presente, acidez no ponto, taninos ainda por ajustar, corpo e final médios. Nota 16.
Servido com um folhado de pato com cogumelos selvagens.
.Tinto Grande Reserva 2008 - estagiou 24 meses em barricas novas de carvalho francês; muito concentrado, boca poderosa, todo ele excessivo, mas pouco harmonioso; o teor alcoólico exagerado (16 % vol.!) também não ajuda. Uma pena, pois tem um grande potencial. Nota 17, mesmo assim!
Acompanhou um lombinho de javali assado.
.Colheita Tardia 2010 - 100 % Malvasia Fina, estagiou 6 meses em barricas novas de carvalho francês; presença de citrinos e frutos secos, bom equilibrio entre a acidez e a gordura, final persistente, doce sem ser enjoativo. Uns furos acima de uma outra garrafa provada há pouco tempo. Nota 16,5+.
Maridou bem com um mil folhas de framboesas e gelado de pistachio.
Em conclusão:
.esta nova parceria funcionou em pleno e faço votos para que continui;
.o branco Grande Reserva é uma paixão e já entrou no meu Quadro de Honra.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário