segunda-feira, 17 de junho de 2013

Visita à Quinta da Aveleda e não só...

1.A Quinta da Aveleda
Integrado num grupo de associados do Montepio, visitei a Quinta da Aveleda, cujos 25 hectares de jardim lhe mereceram o prémio internacional "Best of Wine Tourism 2011", na categoria de Arquitectura, Parques e Jardins. A visita incluiu os jardins, a adega onde repousam dezenas de barricas com a aguardente Adega Velha e, ainda, uma prova de queijos e vinhos.
Nos jardins podem contemplar-se as "follies" que deram nome a uma das linhas de vinhos Aveleda, designadamente uma janela manuelina do século XVI, uma fonte no meio do lago, uma cabana de chá  e a torre das cabras. Como curiosidade histórica, na adega visitada pode contemplar-se a garrafa nº 1 do primeiro engarrafamento da Adega Velha.
Na prova pudemos degustar os queijos de ovelha da Aveleda, um rosé Casal Garcia (que não experimentei) e o Qtª da Aveleda Colheita Seleccionada Loureiro/Alvarinho, um Regional Minho de 2012, a cumprir a sua missão, mas sem deslumbrar.
A loja da Quinta, bem recheada de vinhos, compotas e queijos, estava aberta e permitiu, a quem quiz, fazer alguma boas compras. Optei pelo branco Grande Follies 2009, do qual falarei oportunamente.
Como balanço, uma visita interessante, mas a saber a pouco, pois a chamada casa senhorial não foi incluida.
2.Penafiel
Uma pequena e simpática cidade do interior, cujo museu municipal está ao nível do que de melhor existe na Europa. A sua qualidade deve ser inversamente proporcional ao seu tamanho, pois apenas dispõe de 6 salas (da identidade, do território, da arqueologia, dos ofícios, da terra e da água e a das exposições temporárias (neste momento dedicada à Viarco). Obrigatório visitar!
Para os potenciais visitantes, Penafiel tem um belíssimo hotel de 4 estrelas (o Penafiel Park Hotel), altamente recomendável.
3.Restaurantes
.O Farela
Fica no cú de judas (R.Santa Luzia) e é preciso perguntar por ele de 100 em 100 metros, passe o exagero.
Mas vale a pena o esforço. Mesas bem aparelhadas, guardanapos de pano, boa comida e uma lista de vinhos fabulosa, com preços deveras surpreendentes. Por exemplo, em que restaurantes se pode mandar vir uma garrafa de Qtª do Crasto Maria Teresa (79,90 €), Vinhas Velhas (29,90), Poeira (35,00) ou Vale Meão (56,00)? Não conheço nenhum!
A lista tem alguns erros na arrumação dos vinhos, mas nada de grave. Vinho a copo, como em tanto lado, só o da casa. Bons copos da Schott. Bebemos o Beira Quartz 2001, um belo branco assinado pelo Rui Reboredo Madeira, já aqui comentado, que acompanhou bacalhau á pedreiro com arroz de feijão e grelos.
Uma única nota negativa: a televisão acesa, embora sem som. Não havia necessidade.
.Convívio
Mais conhecido pelo restaurante do senhor António (R.Eng. Matos,331), foi-nos recomendado por pessoas de Penafiel que conhecemos na visita à Aveleda.
Mais modesto que o anterior, tem uma decoração deveras original (fotos antigas e de clientes da casa). A lista de vinhos é curta, pouco interessante, mal organizada e muito centada na região. A completar este cenário, os copos  são de fraca qualidade. A comida é simples, mas muito agradável. Comemos filetes de peixe com arroz de feijão e ainda provei uma saborosíssima feijoada dos parceiros do lado (éramos 10). O vinho que veio para a mesa, Portal das Hortas, um verde com excesso de gás, mostrou-se mais ou menos imbebível para o meu gosto, mas as garrafas iam ficando vazias...
.Penafiel Park Hotel
Depois de bem almoçados, o jantar no hotel limitava-se a sopa e fruta laminada. Obviamente não bebi vinho, mas tive a curiosidade de consultar a respectiva lista, de razoável dimensão. Contabilizei 24 brancos, dos quais 50% eram verdes, mas apenas 1 Alvarinho (nenhum referia o ano de colheita). Quanto a tintos, somavam 36, centrados no Douro e Alentejo, todos com direito ao ano de colheita.
Oferta mínima de vinho a copo, espumantes e fortificados. Copos de qualidade.
Quanto a preços, eram todos excessivos e alguns estupidamente caros. Por exemplo, Duas Quintas (27 €),  Cabeça de Burro (33), Cartuxa (50), Perna Seca Reserva (?) (60) e Oboé Grande Escolha (100)!?
É por isso, que nos 3 jantares no hotel, não vi ninguém a consumir vinho.
.Virgílio dos Leitões
A caminho de Penafiel, fizémos um pequeno desvio até à Mealhada, para poisarmos no Virgílio, onde não ia há um ror de anos.
A curiosidade era muita e considero positiva esta visita. Mais, a relação preço/qualidade é inquestionável. Por 11 €, come-se o menú leitão, com direito a pão, azeitonas, sopa, prato de leitão (estaladiço e dose generosa) café, bebida e guardanapo de pano! Uma boa surpresa.
 

1 comentário:

  1. bom, esse Farela é um achado... mas ainda sei onde se encontra na lista um barca velha 99 por 95 euros ou um pera manca (esqueci o ano! mas é anos 90) por 93. e há por la sidonios de sousa garrafeira dos anos 90, entre vários outros... café correia em vila do bispo.

    ResponderEliminar