quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Almoço com Vinhos da Madeira (10ª sessão) : o regresso a S. Francisco da Serra

Mais uma edição memorável com este grupo de privilegiados militantes de Vinhos da Madeira, que decorreu da melhor maneira na casa da Lena e do Juca. Agradável e são convívio, 16 vinhos provados (2 espumantes, 7 brancos, 3 tintos e 4 Madeiras) e os anfitriões, inspirados, a brilharem na cozinha.
Vou apenas centrar-me nos Madeiras, referindo apenas os restantes 12, a saber: Murganheira Assemblage 98 e Rosé 06 (a cumprirem bem a sua função), Morgado Stª Catherina 09 (um dos melhores brancos nacionais, não me canso de o beber), Ervideira Invisível Aragonês 10 (um branco de tintas, apenas uma curiosidade), Esporão Reserva e Private Selection 06 (oxidados, mas mesmo assim o PS aguentou uma tarte de cebola e farinheira bem pesada), Duorum Vinhas Velhas 07 (para mim, o melhor dos tintos), Meruge 07 (o esperado), Qtª da Costa das Aguaneiras 07 (o mais fraco), Soalheiro Alvarinho 12, 1ª Vinhas 11 (em magnum) e Reserva 07 (estes 3 Soalheiros foram servidos no final do repasto e já não tive arcaboiço para os provar).
Mas vamos às "estrelas" da companhia, os 4 Madeiras, 2 de 79 a fazerem o corte do palato entre as entradas e o prato principal, e 2 de 77 a acompanhar as sobremesas:
.Borges Sercial 79 (trazido pelo J.Rosa) - nariz deveras complexo, frutos secos, notas e caril, vinagrinho, volume de boca e final longo. Uma boa surpresa vinda da Borges e um dos melhores Sercial que provei, até agora. Nota 18,5.
.Artur Barros e Sousa Terrantez 79 (da garrafeira do Adelino) - aroma exuberante, notas de iodo, redondo na boca e boa persistência final. Bom, mas sem esmagar. Nota 17,5.
.Borges Boal 77 (veio com o Alfredo) - apresentou-se muito turvo, nariz discreto, notas de caril, vinagrinho, final de boca muito longo. Mais uma boa surpresa da Borges, prejudicada pelo aspecto turvo. Nota 17,5+.
.Blandy Bual 77 (engarrafado em 2007, era pertença minha) - todo ele muito complexo, notas de iodo e brandy, vinagrinho, volume de boca assinalável e final interminável. Foi o vinho da sessão. Nota 19.
De salientar a confirmação do Blandy Bual 77, a surpresa que foi a qualidade dos vinhos da Borges e a tristeza que foi a notícia sobre o encerramento breve da Artur Barros e Sousa, a marca que me iniciou nestas andanças.
E quanto a comeres? O ponto alto foi o rabo de boi estufado, saído das mãos do anfitrião. Inesquecível!
Comeu-se, ainda, uma série de entradas (tomate com mozzarela, casquinha de sapateira, pimentos recheados e tarte de cebola e farinheira), lombinhos de porco preto com puré de maçã e umas tantas sobremesas (tábua de queijos, salpicão de Braga, tarte de maçã, bolo de chocolate e bolo de mel).
Mais uma grande jornada de convívio, comeres e beberes. Os anfitriões esmeraram-se. Obrigado Lena e Juca! 

1 comentário:

  1. Obrigado pela tua generosidade.Apenas não referiste o Qta da Leda 04 servido também no final do repasto.Para o ano vamos procurar fazer ainda melhor...vocês merecem pelo são convívio que proporcionaram e que muito nos sensibilizou. Juca

    ResponderEliminar