quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Curtas (XVI)

1.Rescaldo de Sesimbra
Nos primeiros dias deste mês, instalei-me no Hotel do Mar, em Sesimbra que, apesar de velhote, é muito simpático e tem uma situação invejável, mesmo junto à praia.
Os almoços eram feitos num restaurante em cima da praia, o Serafim, onde se pode comer sempre peixe fresco e umas ameijoas memoráveis, a preços decentes. Quanto a vinhos, a lista, pouco interessante, além de mal estruturada, omite os anos de colheita. Para além de umas imperiais, bebeu-se o Catarina 2012 - um pouco marcado pela madeira, déficite de fruta, notas amanteigadas e algum volume de boca. Boa relação preço/qualidade. Nota 15.
Os jantares decorriam no restaurante do hotel, cuja ementa não ficou na memória. A carta de vinhos é curta, pouco imaginativa, sem a modalidade a copo, preços não amigáveis e sem datações, o que num restaurante de hotel, é imperdoável. Bebeu-se o Prova Régia 2010 que é sempre o meu refúgio, em casos de aflição - fresco, limonado, elegante, acidez equilibrada. Nota 16+.
2.Cidadela de Cascais
Por sugestão de um casal amigo, que não conhecia este novo espaço, ocupado pela Pousada, rumámos à Cidadela de Cascais, com o objectivo de almoçarmos na Taberna da Praça, o wine bar onde se podem comer uma série de petiscos tradicionais.
Azar o nosso, era uma 5ª feira e a Taberna estava fehada (só serve jantares e almoços no fim de semana). Mas já que estávamos por ali, fomos conhecer o Maris Stella, o restaurante da Pousada.
A vista para a baía de Cascais é espectcular, mas o resto...Comemos caro, mas nada ficou na memória. A carta de vinhos tem algumas boas referências e uma razoável oferta de vinho a copo, mas os preços são, quase todos, proibitivos. Optei pelo mais acessível da lista, o Prova Régia 2012, a portar-se muito bem. O serviço foi correcto, pois a garrafa foi mostrada e o vinho dado a provar.
Mas, surrealismo puro, no decorrer do almoço, atravessou o restaurante um grupo de clientes da Pousada, vindos da piscina, em calção de banho e tronco nú, escorrendo água! E esta, hem?
3.O Instituto do Vinho... da Madeira (IVBAM) acordou
O IVBAM, isto é, o Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira, acordou de uma longa letargia de décadas! Pudera, com um nome destes...
Um comunicado do IVBAM, difundido através da EV - Essência do Vinho, refere que 5 casas de Vinho da Madeira (Blandy, Henriques & Henriques, Justino's Madeira Wines, Pereira de Oliveira e Vinhos Barbeito) vão apresentar alguns dos seus néctares em Paris, Londres, Copenhaga e Haia, em provas orientadas pelo "(...) crítico de vinhos português de maior renome, Rui Falcão (...)".
Isto é bom para o Vinho da Madeira, mas palpita-me que alguém não vai gostar nada de ler este comunicado. Adivinhem lá quem será.

Sem comentários:

Enviar um comentário