sábado, 21 de setembro de 2013

Vinhos em família (XLVI)

Esta 46ª prova não se limitou aos vinhos da minha garrafeira, alguns foram bebidos em restaurantes. E nem todos foram degustados exclusivamente em família. São 4 brancos, dos quais 2 Alvarinhos, e um surpreendente tinto, cuja marca desconhecia completamente.
.Anselmo Mendes Curtimenta 2011 - fermentou parcialmente com as películas e estagiou 9 meses em barricas usadas; presença de fruta madura (melão, pêssego, ameixa), acidez equilibrada, alguma gordura, volume de boca e gastronómico; só se mostra quando a temperatura sobe para os 10/12º. Nota 17.
.Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2011 - nariz exuberante, limonado, notas tropicais, boa acidez, toque amanteigado, madeira discreta, estrutura e final muito longo; também é gastronómico. Nota 17,5+.
.Qtª Bageiras Garrafeira 2010 (garrafa nº 2429 de 2743) - com base nas castas Maria Gomes e Bical de vinhas velhas, fermentou em tonel de madeira avinhado; austero no nariz, mineral, notas metálicas, alguma estrutura e final de boca. Nota 17.
.Almeida Garrett Chardonnay 2010 (bebido no Callum, restaurante do Hotel Santa Margarida, em Oleiros) - fermentou em madeira de carvalho francês; muito aromático, notas limonadas, acidez equilibrada, alguma gordura, estrutura e gastronómico. Uma boa surpresa. Nota 16,5+.
.H.O. 2010 (bebido no restaurante 1ª Direito, oferta da casa) - um Douro desconhecido, produzido e engarrafado por Horta Osório Wines. Enologia do João Brito e Cunha, a partir das castas T.Nacional, Touriga Franca e Sousão de vinhas velhas; estagiou em barricas novas de carvalho francês e foi engarrafado em junho de 2012; nariz complexo, especiado, notas de tabaco, acidez equilibrada, volume de boca, final muito longo. Grande surpresa! A beber desde já ou nos próximos 3/4 anos. Nota 17,5+.

Sem comentários:

Enviar um comentário