quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Visita à Adega Mãe (I)

1.Preâmbulo
A convite dos responsáveis, visitei recentemente a Adega Mãe, um produtor de vinhos de tenra idade, cujas vinhas e adega se situam nas proximidades de Torres Vedras, a uma dúzia de quilómetros do Atlântico.
A Adega Mãe pertence ao grupo Riberalves e, em 2011, juntou-se ao negócio do bacalhau, da imobiliária e dos cafés. Em estilo moderno, está muito bem desenhada e inserida na paisagem, além de ter uma vista fabulosa para a área envolvente, através de rasgadas janelas.
Tem uma boa capacidade, ao dispor de 21 cubas para 18 toneladas de uvas cada. Quanto a barricas, quase todas de carvalho francês, conta com 150 para o Reserva tinto (10 % são de carvalho americano) e 25 para o Reserva branco.
De salientar, também, a sua preocupação pedagógica ao instalar, em vários pontos da visita, vídeos que contemplam algumas das etapas do ciclo de produção, desde a chegada das uvas ao produto final.
Apesar de neófitos, já conseguiram internacionalizar a marca com a presença de 2 dos seus vinhos (Dory Reserva 2010 tinto e Adegamãe Viosinho 2012) na Bienal de Veneza, integrados no Projecto Trafaria Praia da artista plástica Joana Vasconcelos. É obra!
2.A Adega Mãe e a blogosfera
De louvar a atitude deste produtor ao abrir as suas portas, pela 2ª vez segundo creio, a um grupo de bloguistas e afins.
Os convidados foram recebidos pelo próprio director geral, Bernardo Alves de seu nome.
Para memória futura tiveram presentes, por ordem alfabética:
.Adega dos Leigos (Nuno Ciríaco)
.Air Diogo num Copo (Diogo Rodrigues)
.Enófilo Militante (eu próprio)
.Jójójoli (Jorge Nunes)
.Reserva Recomendada (Rui Pereira)
.Wine & Lifestyle (André Peres)
Em próxima crónica falarei sobre os vinhos (na prova e no almoço).

Sem comentários:

Enviar um comentário