segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Lisboa Restaurant Week (LRW)

Nesta última edição fui experimentar o Flores do Bairro (restaurante do Bairro Alto Hotel) e o Assinatura. Já tinha estado no Flores em Março deste ano, tendo publicado as minhas impressões, francamente positivas, em "No rescaldo do Lisboa Restaurant Week". Só que desta vez, a realidade foi outra, pura desilusão. O que se teria passado, entretanto? Quanto ao Assinatura, o que me fez revisitá-lo, uma vez mais, foi a curiosidade de saber se o mesmo sobreviveu à saída do Henrique Mouro e entrada do João Sá, que já conhecia do GSpot. Fiquei com a impressão que mantém a qualidade de sempre.
Começando pelo Flores, comi "terrina de coelho e lombo enguitado com compota de maçã", "filetes de tamboril com camarões, mexilhões e citronela" e "tarte de frutos vermelhos". Os filetes vinham com um arroz, aliás delicioso, sem que o menú o mencionasse, enquanto os anunciados camarões e mexilhões, não se vislumbravam, embora o sabor lá estivesse. Num dos filetes, vinha uma tira de plástico! E na cozinha, surpreendentemente, não deram por nada!? Depois de inquirir, tive direito a uma desculpa algo atabalhoada. Francamente...Enfim, não cobraram os cafés.
Quanto a vinhos, depois da jornada da véspera (ver a crónica "Novo Formato+"), fiquei-me pela água. Mas observei o que se passava noutras mesas e percebi que o vinho a copo já vinha servido, sem a garrafa ser mostrada ao cliente, nem dada a provar. Mais: os tintos estavam à temperatura ambiente. Só desgraças!
Quanto à lista de vinhos, inventariei (entre parêntesis, a quantidade de referências a copo) 1 espumante (1), 5 champanhes (3), 17 brancos (12), 25 tintos (13), 2 rosés (1), 5 Portos, 2 Moscatéis e 1 Colheita Tardia (todos a copo). Uma boa oferta, embora com preços nada amigáveis.
No Assinatura, comi "croquetes de pato com chutney de marmelo", "porco bísaro e ameijoas" e " tarte de chocolate e figos". Tudo com muita qualidade, mas sem fazer subir aos céus.
Quanto a vinhos, o serviço foi de luxo, a antítese do Flores. A garrafa vai à mesa, o vinho dado a provar num bom copo Schott, mas a quantidade é a olho. A quantidade do tinto era generosa, mas já não posso dizer o mesmo da quantidade do branco. Penso que a dimensão dos copos pode justificar essa diferença. E, ainda, temperaturas correctas. 
Bebi Lavradores de Feitoria Sauvignon 2012 (5 €) - aromático, fresco e elegante é uma paixão imediata. Nota 16,5+. E, ainda, Meandro 2011 (5 €) - exuberante, fruta vermelha, especiado, boa acidez e volume de boca. Nota 17,5. 
Quanto à lista do Assinatura, inventariei 4 espumates (4), 4 champanhes (1), 20 brancos (10), 40 tintos (10) e 3 rosés (1). Na lista consultada, não constavam os fortificados, mas sei que eles existem. Uma boa oferta, com preços de acordo com o espaço.
A finalizar, nenhum dos restaurantes nos entregou os postais comprovativos, a justificar a oferta de 1 € a causas sociais. Podemos ficar na dúvida.
E, para o ano, há mais. Estejamos atentos.

Sem comentários:

Enviar um comentário