quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Almoço com Vinhos da Madeira (11ª sessão)

Esta última sessão deste grupo de enófilos apaixonados por Vinhos da Madeira, teve algumas diferenças em relação às anteriores:
.este memorável almoço foi oferecido pelo José Rosa que, para além de grande parte dos vinhos, também trouxe paio, a carne e um dos queijos, o que todos nós agradecemos;
.como convidados especiais, participaram o Jorge Serôdio Borges, figura de referência no mundo do vinho e que dispensa apresentações, e o João Rosa, filho do anfitrião, vindo expressamente de Londres, onde reside e trabalha, ambos particularmente interessados nos Madeiras.
O evento decorreu, mais uma vez, na Enoteca de Belém, onde contámos com o apoio profissional do Nelson na sala e do Ricardo na cozinha.
O vinho de boas vindas que acompanhou o amuse de bouche (incluiu umas lascas de paio da presa), foi o espumante rosé Vertice 2010, simpática oferta da casa, a desempenhar bem o seu papel. Seguiram-se 2 brancos, 2 tintos, 2 Porto Vintage e 3 Madeiras:
.Soalheiro Alvarinho 2010, já aqui referido em diversas situações. Mantém-se em forma e é uma das referências em brancos que nunca falha. Nota 17.
.Vinha Formal 2008 - austero, fruta madura, boa acidez, madeira bem integrada, alguma gordura, volume de boca e um belíssimo final. Nota 17,5+.
Estes brancos foram oferta do João Quintela e fizeram companhia a um saboroso tataki de atum com tártaro de verdes e emulsão de gengibre.
.Blandy Verdelho 1977 (engarrafado em 2009 e vindo da garrafeira do José Rosa) - frutos secos, vinagrinho, notas de iodo e brandy, volume de boca e final longo. Servido em copo grande (como aliás todos os vinhos ) que o potenciou. Nota 18,5+.
Uma raridade (garrafa nº 487 de 694!).
Servido entre o peixe e a carne, fez o corte no palato.
.Chambertin-Clos de Beze 2004 Grand Cru Domaine Drouhin-Laroze - é um Borgonha (Pinot Noir) - evoluido, côr diluida, aroma complexo, especiado, elegante, sofisticado e final longo. Nota 18.
.Charme 2004 - nariz contido, equilibrado e elegante, notas apimentadas, acidez presente, volume e final de boca médios. Nota 17.
Estes tintos foram trazidos pela família Rosa. Une-os, para além da subtileza e elegância, a ausência de contra-rótulo e irritante falta de informação. Acompanharam costoletas de lombo de vitela barrosã e uns excelentes bifes de lombinho de vitela mirandesa.
.Fonseca Vintage 1992 (oferta do Adelino Sousa) - nariz exuberante, ainda com muita fruta, taninos aveludados, apreciável volume e final de boca. Nota 18.
.Taylor's Vintage 1994 (oferta do Jorge S. Borges) - nariz fechado, grande potência de boca e final interminável; tem, ainda, muitos anos à sua frente. Nota 18,5.
Os Vintage acompanharam uma tábua de queijos (Castelo Branco, Vila Velha de Rodão, Ilha e Serra).
.FMA Bual 1964 (oferta do José Rosa) - um Madeira de excepção, aqui descrito na crónica "Novo Formato+ (13ª sessão)", editada em 18/10, classificado com a mesma nota 19. Para mim, o vinho da sessão.
.Adega do Torreão Terrantez 1870 (oferta do Adelino Sousa) - um vinho com quase 140 anos ainda mostra uma côr e frescura invejáveis; vinagrinho, notas de caril e iodo, final muito longo; a beber com todo o respeito. Nota 18,5+.
Os madeiras tiveram por companhia pão de ló, mousse de frutos silvestres e fruta tropical.
Grande e inesquecível sessão que vai ficar na memória de todos os participantes. O nosso obrigado à família Rosa, não esquecendo o contributo do Adelino e do João!

Sem comentários:

Enviar um comentário