sábado, 28 de dezembro de 2013

Grupo dos 3 (35ª sessão)

A responsabilidade desta 35ª sessão coube ao João Quintela que escolheu o restaurante principal do Corte Inglês. Levou, da sua garrafeira, 1 branco alentejano, 2 tintos da Ribera del Duero e 2 Late Harvest.
Desfilaram:
.Telhas 2010 branco (Terras d' Alter) - com base na casta Viognier e enologia de Peter Bright; fruta madura, aroma muito presente, acidez no ponto, madeira discreta, alguma gordura, volume de boca, final adocicado que se foi atenuando. Uma grande surpresa vinda do Alentejo. Nota 17,5+.
Acompanhou muito bem uma entrada de cogumelos recheados com camarão, lagosta e mexilhão.
.Aalto 2011 - fruta presente, notas terrosas, acidez equilibrada, taninos polidos, volume de boca e final muito longo. Muito afinado, mas a precisar de mais tempo de garrafa. Nota 18.
.Aalto 2010 - nariz contido, notas florais, acidez q.b., boa estrutura e final de boca, embora abaixo do 2011. Nota 17,5.
Estes 2 vinhos são provenientes da casta Tinto Fino de vinhas velhas (mais de 40 anos) e estagiaram 20 meses em barricas de carvalho. É pena o teor alcoólico tão elevado (15% vol.).
Fizeram companhia a uma paletilha de cordeiro de leite com batata panadera.
.Lenz Moser Trockenbeerenauslese 2005 - um Late Harvest austriaco de prestígio; aroma exuberante, acidez positiva, untuoso, volume de boca e final extenso. Nota 18.
.Grandjó Late Harvest 2005 - nariz discreto, citrinos, acidez não muito evidente, volume e final médios. Ficou quase esmagado pelo Lenz Moser. Uma desilusão (já bebi pelo menos meia dúzia de garrafas deste vinho francamente melhores). Nota 15,5+.
Estes últimos vinhos maridaram bem com uns saborosos crepes suzette.
Mais uma boa sessão de convívio, comeres e beberes à altura. Obrigado João!

1 comentário: