quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Novo Formato+ (14ª sessão)

Esta última sessão deste grupo de amigos foi da responsabildade do Juca que escolheu o restaurante principal do Corte Inglês. Levou 2 brancos, 4 tintos de 2006 e 1 Madeira, provados às cegas com excepção deste último.
Os brancos eram francamente cativantes, embora de estilos bem diferentes. Enquanto que o desconhecido Terroir Velho Mundo XII, proveniente de 2 "terroir" diferentes (Laura Regueiro, Douro e Qtª do Regueiro, Vinhos Verdes), era surpreendentemente fresco, aromático, mineral e equilibrado, o Morgado de Stª Catherina 2009, já aqui referido diversas vezes, mostrou fruta mais madura, alguma gordura e volume de boca. Mereceram-me a mesma nota (17,5+).
Acompanharam salgados e mil folhas de foi gras caramelizado. 
Quanto aos tintos de 2006, a dificuldade desta colheita reflectiu-se nos vinhos apresentados, a maior parte dos quais poucas semelhanças mostrou em relação a outras garrafas das mesmas referências, provadas noutras situações, algumas bem recentes. Ficaram, quase todos, uns furos abaixo. O perfil, às cegas, apontava para a Bairrada ou Dão. Vejamos, então, as notas dadas ao longo do tempo (entre parêntesis as notas de outras situações):
.Aneto Grande Reserva - demasiado discreto, embora com um final longo. Nota 17 (18,5/18,5).
.Carrocel  - ainda elegante e harmonioso. Nota 17,5 (17,5/18/18,5+).
.CV - o único que se manteve fiel ao seu perfil e qualidade. Nota 18 (17,5+/18).
.Poeira - o que mostrou a maior irregularidade - Nota 17,5 (18,5/16,5+/18/17,5/16,5).
Os tintos fizeram companhia ao prato de leitão com mil folhas de batata e cenoura.
Finalmente, o vinho da tarde, um Blandy Terrantez 1977 (engarrafado em 2004) - sempre fabuloso e já aqui referido, era a garrafa nº 1340 de 2000. Nota 18,5 (18/19).
Maridou bem com a sobremesa de banana e frutos silvestres.
Serviço eficiente e profissional, como sempre.
Apesar do 2006, mais uma boa jornada de convívio, comeres e beberes. Obrigado, Juca!

Sem comentários:

Enviar um comentário