domingo, 5 de janeiro de 2014

2013 : na hora do balanço (IV)

A crónica de hoje é dedicada aos tintos que mais me entusiasmaram no decorrer de 2013, uns provados às cegas e outros com o rótulo à vista.
1.Qtª do Crasto T.Nacional 2005 e 2004
2.Três Bagos Grande Escolha 2005
3.Kompassus Private Selection Baga 2005
4.Qtª da Falorca Garrafeira 2004
5.Ferreirinha Reserva Especial 2001
6.Kopke Vinhas Velhas 2008
7.Qtª da Pellada Carrocel 2006
8.Barca Velha 2004
9.Poeira 2004 e 2009
10.Marquês de Borba Reserva 1997
De registar a prestação das colheitas de 2004 e 2005, a confirmação da Qtª do Crasto, dos Lavradores de Feitoria e do Kompassus e a surpresa que foi o posicionamento do Falorca. Surpresa, ainda, quanto à longevidade do alentejano Marquês de Borba e a inclusão nesta selecção do Kopke, marca que não costuma aparecer em tops.
Não ficaram nesta escolha dos 10 mais, mas poderiam ter ficado, os tintos Batuta 2001 (em magnum), Vale Meão 2005, Chryseia 2009 (em magnum), Qtª do Noval 2008, Aneto Grande Reserva 2006 e Qtª da Manoella Vinhas Velhas 2011.

2 comentários:

  1. Não tive ocasião de provar nenhum vinho dessa lista de 10. Deixo aqui a minha, mais uma vez, apenas vinhos abertos em minha casa ou de amigos, nada de restaurantes, eventos ou provas.

    1-Pape 2007
    2-Quinta do Monte d'Oiro Syrah 24, 2007
    3-Anima L8
    4-CARM Grande Reserva 2008
    5-Hexagon 2007
    6-Quinta de Santa Júlia Reserva 2003
    7-Casa da Passarela Vinhas Velhas 2008
    8-Quinta do Passadouro Touriga Nacional 2010
    9-Quinta da Bica Vinhas Velhas 2007
    10-Quinta da Mimosa 2010
    Grainha Reserva 2009

    ResponderEliminar