quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Almoço no Tomo


Começo por dizer que o ambiente deste restaurante, demasiado informal, tipo café de bairro e mesas despojadas, não condiz minimamente com o prestígio e fama da sua cozinha, conquistados há já uma série de anos.
Quanto à comida, pode optar-se por 9 menús de almoço ou à lista. Nesta última visita decidi-me por um dos menús de almoço, o Tempura Tei, à base de vegetais e marisco fritos. Custa 16,50 € e, para além do prato principal, dá direito ao couver e sopa. Confesso que saí do Tomo algo frustrado. Acredito que quem saia em estado de graça, tenha optado por algum menú de degustação, a troco de algumas dezenas de euros.
Mesmo bom, foi a sobremesa especial, um "pijaminha" com bolo de castanha, bolo de arroz e gelado com macaron. É cara (7 €), mas dá para partilhar.
Mas, o que verdadeiramente me surpreendeu, foi a lista de vinhos, uma grande e criteriosa selecção, tudo datado, a preços muito acessíveis, embora um ou outro, dos mais badalados, tenha preços proibitivos.
Inventariei 9 espumantes, 43 brancos, 97 tintos e 28 referências de Saké. A copo, apenas os vinhos da casa.
Bebeu-se o branco Dona Berta Creoula Rabigato Reserva 2011 (18 €) - aromático, acidez equilibrada, madeira bem integrada, alguma gordura e volume, bom final de boca e gastronómico. Nota 17,5.

1 comentário:

  1. pensei o mesmo a nível do espaço. iluminação impessoal. mas acertei bem na comida - estava num grupo de 4 e experimentou-se muita coisa diferente.

    ResponderEliminar