terça-feira, 13 de maio de 2014

Grupo dos 3 (39ª sessão): sinfonia de bacalhau

Esta última sessão foi da responsabilidade do Juca, que levou 2 brancos, 1 tinto e 1 Colheita. O restaurante escolhido foi a Casa do Bacalhau (Rua do Grilo,54), ao lado da Manutenção Militar e próximo do Convento do Beato. Segundo a página do restaurante, este espaço ocupa as antigas cavalariças do Palácio do Duque de Lafões. O tecto é original do século XVIII e está "construido em abóboda com tijolo burro". Só pelo espaço vale a pena lá ir. A ementa contém 25 maneiras diferentes de apresentar o bacalhau, enquanto que a lista de vinhos tem uma longa, criteriosa e diversificada oferta (a copo são 20), incluindo os mais badalados.
O dono da Casa do Bacalhau (e também do Via Graça) é o João Bandeira, já aqui referido em "Grupo dos 3 (38ª sessão)", crónica publicada em 8/4/2014, que veio orientar este almoço, a que chamei de sinfonia. E esta sinfonia desdobrou-se em 5 andamentos:
1.pastéis e pataniscas (estas muito finas, como eu gosto),
2.línguas à Bolhão Pato (o prato que elegi como o melhor),
3.caril de bacalhau (o mais polémico, mas gostei)
4.feijoada de samos (ligou muito bem com o tinto) e
5.bacalhau à lagareiro (que já não consegui comer tudo)
Os 2 brancos e o tinto foram provados em confronto. O protagonismo foi dos brancos, enquanto que o tinto só brilhou a partir do 3º andamento. E eles foram:
.Redoma Reserva 2006 - nariz exuberante com notória presença de citrinos, mineral, madeira discreta, potência de boca e bom final. Não sendo um dos melhores redoma Reserva, tem evoluído bem ao longo dos anos em que o tenho provado. Nota 17,5 (noutras situações 15,5/16/15,5/16/16+/17,5).
.Soalheiro Alvarinho Reserva 2010 - aroma inicialmente discreto, fruta madura, notas tropicais, acidez fabulosa e muito equilibrada, bom volume e final muito longo. Um dos melhores brancos portugueses. Nota 18 (noutras 17+/17,5/17,5).
.Vallado T.Nacional 2008 - nariz complexo, notas apimentadas, especiado, chocolate preto, acidez q.b., taninos suaves, boca harmoniosa e bom final. Foi a 1ª vez que o provei. Nota 18.
A fechar, com uma triologia de doces à base de ovos e amêndoa:
.Noval Colheita 1976 (engarrafado em 2006) - aroma discreto, frutos secos, acidez q.b., alguma gordura, volume e final de boca médios. Nunca me empolgou. Nota 17 (com outros engarrafamentos 17,5/17+/15,5).
Grande jornada! Obrigado Juca!

2 comentários:

  1. O dono chama-se João Bandeira e não Barbosa.Aqui deixo a correção para que conste.Obrigado pelos elogios que sabendo-os sinceros muito agradeço.Penso que pela primeira vez dei nota muito alta a todos os pratos servidos e o eleito foi a feijoada.Quanto aos vinhos,apenas troco as notas que deste ao Redoma e ao Porto,isto é,17 ao primeiro e 17,5 ao Porto.Abs Juca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Juca pelo reparo. Já está corrigido. Não percebo como lhe troquei agora o nome, pois na crónica sobre o Via Graça saíu certinho.

      Eliminar