quinta-feira, 8 de maio de 2014

Mercado Campo de Ourique revisitado

Após a minha primeira visita, que pode ser lida em "O novo Mercado Campo de Ourique", crónica publicada em 19/1/2014, voltei a este espaço para confirmar, ou não, as minhas primeiras impressões.
Os tabuleiros continuam ausentes, as correntes de ar, nesta altura do ano, já não incomodam, a limpeza já não é o que era e a Sogrape continua com o monopólio dos vinhos, a copo ou à garrafa. Uma ou outra bancada saíu do projecto e outras vieram. Passada a novidade, já se pode circular à vontade no interior do Mercado.
Desta vez, optei por:
.na Marisqueira, uma sopa de marisco, bem fornecida, mas pouco saborosa (3 €), acompanhada pelo branco Qtª dos Carvalhais Encruzado 2012 (meio copo = 7 cl, a custar 2,80 €) - fresco, mineral, bela acidez, prejudicado por ter sido servido praticamente gelado. Nota 16.
.no Atalho do Mercado, pica-pau (150 gr) com pesto, mostarda e bolo do caco, muito saboroso, mas com algumas tiras rijas q.b., a maridar com o tinto Vinha Grande 2011 (meio copo 2,60 €) - aroma exuberante, frutado, acidez equilibrada, taninos civilizados, algum volume e bom final de boca; prejudicado por sair da máquina com uma temperatura acima do recomendável. Nota 16.
.na Casa dos Brigadeiros, um delicioso crocante de pistachio (1,50 €), seguido de café no Café do Mercado (0,70 €).
Resumindo, comi melhor nesta última visita e a oferta de vinhos melhorou com a entrada dos vinhos do Dão. Só não entendo os preços que a Sogrape pratica naquele espaço. Tinham a obrigação de os colocar mais acessíveis. Presumo que venderiam muito mais.A pesar de tudo, recomendo e tenciono voltar.

Sem comentários:

Enviar um comentário