terça-feira, 24 de junho de 2014

Curtas (XXXIII)

1.O Mundo dos Vinhos
Volto a este programa, já aqui falado em Curtas (XXXI), crónica publicada em 10/6, que passa no canal 24Kitchen às 21h25 de 6ª feira.
No último episódio (o 3), dedicado à Região Vinhos Verdes, o autor visitou 3 produtores, Dona Paterna, Qtª de Covela e Palácio da Brejoeira. Como foi feita esta escolha? Os 2 primeiros produtores, a partir da selecção dos 6 vinhos mais vendidos, que foram provados às cegas (ficamos sem saber quais foram os restantes 4 e que entidade contabilizou as vendas, a CVR, uma garrafeira?). Resultado: os principais produtores de Alvarinho (Anselmo Mendes e Soalheiro) ficaram de fora!
Na visita óbvia, ao Palácio da Brejoeira, uma das pessoas que recebeu a equipa que faz o programa está erradamente identificada (aparece uma legenda com o nome Emílio Magalhães, enólogo). Dupla asneira, pois Emílio Magalhães é administrador e nem sequer aparece.
Outra questão, o autor do programa, por mais de uma vez, faz a separação entre verdes e maduros, o que é uma mera distinção popular, que se situa apenas no nosso imaginário, mas sem qualquer fundamento legal. Vinho Verde é uma Região e não um tipo de vinho. Mal informado?
Concluindo, asneiras à parte, o programa teve interesse e vou continuar a segui-lo.
2.Gosto de Portugal
Tinha-me passado completamente ao lado, este programa conduzido pelo mediático Rodrigo Meneses e produzido, também, pelo 24Kitchen. Já vai no episódio 30, mas no domingo de manhã apanhei o início da repetição (episódios 1 e 2). No primeiro, totalmente dedicado a Campo de Ourique, o bairro onde o Rodrigo Meneses se movimenta, há alguns planos com o Vitor Sobral e respectiva Cervejaria da Esquina, com o Arlindo Santos e a sua Garrafeira. No segundo, refere alguns espaços de restauração, o Entra e a Taberna Ideal, para além de algumas tascas de bairro.
O programa é ligeiro, mas informativo, com o Rodrigo muito solto, a interagir bem com os intrevistados. Só é pena que não dedique alguma atenção aos vinhos que vai provando, mas (paraeceu-me) sem qualquer critério.
Tenho alguma curiosidade quanto aos próximos episódios.
3.O Bar de Tapas no ECI
Já há pouco mais de 1 ano tinha referido este espaço no Corte Inglês em "Meson de Tapas no ECI : esperar é preciso", crónica publicada em 3/4/2013. Resolvi lá voltar, para perceber se os inconvenientes referidos, se mantinham ou eram uma situação do passado, já corrigida. Bem, lamentavelmente a situação mantém-se, nomeadamente no pedido da refeição e no pagamento. O serviço de vinhos a copo é mau, a bebida já vem servida, sem direito a ver a garrafa (fiquei sem saber qual a colheita do branco por mim pedido, o Vinha da Poupa), quanto mais a provar o vinho. Salvou-se a quantidade servida e o preço (2,75 €).
Finalmente, a comida é francamente boa, mas não compensa o sofrimento da espera!

Sem comentários:

Enviar um comentário