quinta-feira, 26 de junho de 2014

O Mercado da Ribeira (reformulado) : os beberes (II)

Como já referi na 1ª crónica sobre os "beberes" no Mercado da Ribeira, na banca João Portugal Ramos o cliente pode construir o seu próprio lote, a partir das castas da colheita 2012, que dão origem aos vinhos Vila Santa (segundo informação do empregado). Uma ideia de louvar. O arranque foi com Trincadeira, Aragonês, T.Nacional e Syrah, a que se juntou, há poucos dias, a Alicante Bouschet.
Não resisti ao desafio e fiz o meu lote com 50% de Syrah e outro tanto de T.Nacional (copo 3,50 €, um bom preço). Daqui resultou um vinho muito frutado e exuberante, notas florais, taninos redondos, algum volume e boa persistência, mas claramente prejudicado pela temperatura, algo acima do recomendável (mesmo assim, nota 16,5). Mais: o vinho mudou de recipiente 3 vezes, o que agravou a situação.
À atenção dos responsáveis pela banca dos vinhos João Portugal Ramos. Quando a temperatura em Lisboa aumentar, o resultado do lote será um caldo!
Numa outra visita, experimentei a banca da Herdade do Esporão, onde constatei que os vinhos estavam a temperaturas controladas e adequadas. Provei o Esporão Reserva 2013 branco - muito aromático, citrinos bem presentes, frescura, acidez, alguma gordura, bom volume e final de boca. Nota 17,5. Foi servido em bom copo, numa quantidade correcta (15 cl), embora a olho. O copo aqui custou 4 € (vi o mesmo vinho noutra banca a 5,50 €, especulaçao pura!).
Nesta banca, nada a reclamar.

Sem comentários:

Enviar um comentário