terça-feira, 17 de junho de 2014

Vinhos em família (LIII)

Mais alguns vinhos, da minha garrafeira, provados em família, recatadamente dentro de portas, ou com amigos fora de casa, todos com o rótulo à vista:
.Qtª dos Carvalhais Branco Especial (comprado recentemente no Clube 1500) - lote de vinhos das colheitas de 2004, 2005 e 2006, com base nas castas Encruzado (31%), Verdelho (15%), Sémillon (15%) e o restante de vinhas velhas; estágio longo em barricas usadas de carvalho francês, tendo sido engarrafado em Dezembro 2013; notas de frutos secos e fruta madura (melão, alperce), acidez equilibrada, um toque de oxidação, alguma gordura, madeira ainda evidente, volume de boca e final longo; falta-lhe (ainda) harmonia e é excessivamente caro. Esperava mais. Nota 17,5.
.Pai Abel Chumbado 2011 (sem direito a D.O. Bairrada; a CVR chumbou-o, mas os consumidores aprovaram-no); austero, mineral, notas florais, excelente acidez que lhe vai prolongar a vida durante muitos anos; volume médio e final muito longo. Comparando-o com outras colheitas, continuo a preferir a primeira (2009) e a última (2012), mas gostaria de o voltar a provar daqui a 3 ou 4 anos. Nota 17,5.
.Calda Bordaleza 2007 - com base nas castas Merlot (70%), Petit Verdot (23%) e Cabernet Sauvignon (7%), estagiou 2 anos em barricas novas de carvalho francês - muito fresco e elegante, harmonioso e equilibrado, taninos finos, madeira bem casada, algum volume e final de boca. Nota 17,5 (noutra situação também 17,5). Bebido no restaurante 1º Direito.
.Borges Boal 1977 (sem data de engarrafamento visível) - frutos secos, algum vinagrinho, notas de caril e brandy, taninos com algum vigor, volume e final médios; falta-lhe complexidade e fica a perder com o da Blandy da mesma casta e ano. Nota 17,5 (noutras 17,5/16,5).
Agora reparo que os corri a todos com a mesma nota (17,5)! Coincidências...A dar um 17,5+ seria ao Pai Abel Chumbado.

Sem comentários:

Enviar um comentário