quinta-feira, 3 de julho de 2014

A Copo : os critérios insondáveis da Vini Portugal (I)

Há diversas maneiras de se escolher um espaço de restauração, ou pela sua fama, ou por "dicas" de familiares ou amigos, ou pela leitura da crítica especializada, ou ainda pelo nome do chefe. Mas há ainda outra, aplicável aos enófilos, que é a qualidade do serviço a copo. Mas como se obtém esta informação? Pode ser pela leitura do guia "Boa Cama Boa Mesa", que o Expresso edita anualmente, com base nas classificações da Vini Portugal, ou consultando a página desta instituição em www.acopo.com.pt.
Segundo a Vini Portugal, o serviço a copo de cada espaço é classificado de 1 a 5, tendo por base os seguintes parâmetros: lista a copo (30%), copos (25%), temperatura (25%), serviço (10%) e aconselhamento (10%). Daqui pode resultar a atribuição de um diploma de "Excelência" para classificações de 4,5 a 5 ou de "Serviço de Qualidade" de 3 a 4,4.
Foi o que fiz e vou partilhar com os seguidores deste blogue.
1.Néctar Wine Bar (Rua dos Douradores,33)
A lista de vinhos, à garrafa ou a copo, sem anos de colheita, é demasiado confusa, sem discriminar as referências. Por exemplo, para vinhos a copo refere: Alvarinhos 7,50 €, outros Vinhos Verdes 5 €, Rosés 7,50 €, da casa 3 €, Normal 5 €, Reservas 10 a 25 € e Grande Escolha 20 €! Que grande confusão! Para escolher o vinho tive que me levantar e acompanhar a empregada que ia indicando as garrafas, que estavam nas prateleiras, consideradas Normal!
A garrafa veio à mesa, o vinho dado a provar num bom copo, uma quantidade generosa, servida a olho, à temperatura ambiente, ou seja claramente acima do recomendável. Acabei por perceber que este Wine Bar não investiu em armários térmicos. O serviço foi esforçado e simpático, mas não chega.
Bebi um copo do tinto Paulo Laureano Clássico 2009 (5 €) - aroma intenso, muita fruta vermelha, alguma acidez, guloso, taninos macios, volume e final médios. Nota 16,5. Embora excessivamente caro, cumpriu bem a sua função.
Voltando à lista de vinhos, verifiquei que o preçário era alto, com algumas garrafas a preços escandalosos. Por exemplo, Duorum a 35 €, Planalto Reserva a 30 €, Dory Reserva tinto a 45 €, Dory branco a 30 € e EA a 20 €! Um verdadeiro assalto à mão armada!
Para "ajudar", este espaço não aceitava cartões de crédito, nem débito. Só cash!
Reparei que o Néctar ostenta um diploma de "Excelência", atribuído pela Vini Portugal em 2011. Francamente!
Continua...

2 comentários:

  1. Realmente um "roubo", se verificarmos que se pode atualmente comprar esses vinhos sem sair de casa e na companhia de amigos e amigas...
    Um roubo, mesmo pondo os impostos... acho eu que se calhar tive sorte em encontrar alguns desses vinhos à distância de um clique.
    Exemplos:
    - Duorum Colheita Tinto
    - Tons de Duorum Branco
    - Planalto Branco

    ResponderEliminar