sábado, 2 de agosto de 2014

Actualização dos meus Quadros de Honra (QH)

Para além desta crónica, introdutória a este tema, dedicarei mais 5 (brancos, tintos, Portos, Madeiras e Moscatéis). Considero uma boa maneira de ocupar alguns dias de Agosto, mês em que não acontece praticamente nada no mundo do vinho. E, também, serve para me organizar e definir os meus gostos, a partir de dados concretos (e não subjectivos), que são os meus registos de provas de vinhos e respectivas notas atribuídas, ao longo dos anos (concretamente a partir de 1997).
Neste último balanço, referido a 31 de Julho, contabilizei 334 vinhos constantes nos meus QH (a partir de 17,5+ para os brancos e 18,5 para os tintos e fortificados, ambos inclusivé), com 43 novas entradas, ou seja, um acréscimo de cerca de 13 %, em relação ao ano anterior.
Desagregando estes 334, temos 96 brancos (28,7 % do total), 130 tintos (38,9) e 108 fortificados (32,3). Destes últimos, 38 são Portos, 53 Madeiras e 17 Moscatéis.
De reter:
.o peso dos fortificados e, dentro destes, o peso dos Madeiras (praticamente 50 %)
.a entrada dos brancos no QH, cada vez em maior quantidade, tendo isto a haver, não só com o meu gosto, mas, fundamentavelmente, com o aumento da qualidade dos mesmos (os brancos, da  actualização de 2013 para agora, tiveram um incremento de 23 %, os fortificados 20 %, enquanto que os tintos se ficaram por menos de 6 %).
Em próximas crónicas detalharei estes números, nomeadamente quanto a tipos de vinho, regiões de origem, anos de colheita, produtores/marcas e os melhores entre os melhores (brancos a partir de 18, tintos e fortificados a partir de 19, ambos inclusivé).

Sem comentários:

Enviar um comentário