segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Curtas (XXXVI)

1.Comer barato em Cascais
É no restaurante 100 Vícios (Tv. Alfarrobeira,2 - 4º), com uma boa panorâmica para o casario e baía de Cascais. A cozinha não me apaixonou, mas uma refeição completa por 8 € (inclui couver, entrada, prato, sobremesa, bebida e café!), num sítio janota e em Cascais, é um achado. Um aviso: este excelente preço é só para almoços, durante a semana. Jantar e fim de semana, sobe para 13 €.
A lista de vinhos é abrangente, embora sem grandes referências nem anos de colheita, mas com algumas propostas imperdíveis, como é o caso do excelente Morgado Stª Catherina a 11,60 € (praticamente preço de garrafeira)! Inventariei 9 espumantes, 3 champanhes, 25 brancos, 32 tintos, 2 rosés, 13 Portos, 1 Madeira e 2 Moscatéis. A copo, apenas disponibilizam 2 brancos e 2 tintos, o que é manifestamente insuficiente. Já todos os fortificados podem ser bebidos a copo.
Escolhi o branco Tavedo 2013, servido na mesa, num bom copo e em quantidade generosa. Fresco e descomplicado, cumpriu a sua função.
2.Novas Garrafeiras/Lojas de Vinhos
Recentemente, abriram:
.Wineguest Belém (Lg dos Jerónimos,6A). É a irmã mais nova da Wineguest Alfama (Rua dos Remédios,38).
.Why Not Gourmet (Rua Drª Iracy Doyle,9 Cascais). Além das componentes garrafeira e gourmet, tem um espaço exclusivo de cigarros electrónicos.
Para contrariar esta tendência de abrir novas lojas, fechou as portas a Garrafeira/Wine Bar Wine Spot (no Chiado), que eu considerei o espaço, dedicado ao vinho, mais bonito de Lisboa. Paz à sua alma...
3.Avenue revisitado
Visitei, uma vez mais, este restaurante situado num 1º andar (Av. Liberdade,129), onde pontifica a Marlene Vieira, à qual teci, por diversas vezes, os maiores elogios, mais que merecidos, a propósito deste espaço, mas também do Mercado da Ribeira e da sua actuação no Peixe em Lisboa.
Aproveito a oportunidade para corrigir um lapso, constante nas primeiras crónicas sobre o Avenue: "Curtas (VII)" e "Petiscos em Lisboa (VIII)", publicadas em 7/5/2013 e 4/11/2012, respectivamente. Nelas escrevi que o restaurante estava integrado num hotel, o que não é verdade (está encostado ao Ad-Lib e daí a confusão). Só estranho que nenhum dos seguidores deste blogue tenha dado pela gafe!
Nesta última incursão apostei no menú executivo, que inclui couver, amuse bouche (peixinhos da horta), entrada (creme leve de marisco), prato (veja dos Açores com salada de batata e espargos) e, ainda, sobremesa (pêssego grelhado com gelado de iogurte). Qualidade indiscutível!  Isto tudo por 20 €, um bom preço, atendendo ao espaço e à cozinha.
Mais: o Avenue foi reforçado com parte da equipa do ex-Gspot (o restaurante do Manuel Moreira, em Sintra). Uma mais valia, portanto, traduzida num serviço de vinhos profissional e de muita qualidade. Optei por um copo do surpreendente branco Qtª de Carrafouchas 2012 (4 €), cujo responsável pela enologia é um colega bloguista (TWA), Hugo Mendes de seu nome. Finalmente, foi-me dado a provar um curioso e desconcertante Alboroque 2012, autoria do Tomás Vieira da Cruz, ao estilo andaluz.

2 comentários:

  1. Quem é que da equipa do G Spot está no Avenue? O Giscard?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Rui,
      Sim. O Giscard está na sala e o Manuel Moreira na retaguarda.

      Eliminar